Mais de cinco milhões de euros e 570 dias é o que será necessário para concluir a beneficiação da ETAR de Beirolas.
A empreitada dará o primeiro passo hoje, dia 31 de julho, às 18h00m, quando for assinado o auto de consignação entre o Ministério do Ambiente e a Água do Tejo Atlântico, em Beirolas.

A também conhecida como Fábrica de Água de Beirolas será dotada com melhores condições de infraestruturas. Segundo um comunicado das Águas do Tejo Atlântico, a intervenção irá resultar “na melhoria das condições socio-ambientais das populações servidas e da recolha, tratamento e rejeição dos efluentes de forma ambientalmente segura”.

A empreitada irá também “permitir o aumento da capacidade nominal do tratamento de efluentes, em particular, na resiliência na gestão dos caudais pluviais e o aumento da capacidade do sistema de ventilação e desodorização, com benefícios significativos para o ambiente e para as áreas circundantes”.

Em concreto, a obra inclui a beneficiação da obra de entrada e do tratamento preliminar, a construção de uma linha para tratamento de caudais de tempo húmido, o aumento da capacidade de elevação para o tratamento biológico, a beneficiação da linha de lamas, e a remodelação do sistema de desodorização da fase líquida e o melhoramento do confinamento das zonas de maior produção de odores no edifício da obra de entrada e decantadores primários.

Servindo os concelhos de Lisboa e Loures, a Fábrica de Água de Beirolas descarrega o efluente tratado na bacia do Tejo. Tem capacidade para tratar um caudal médio de 54.500 m3/dia, que corresponde a um equivalente populacional de 214.000 hab. eq..
A instalação encontra-se em funcionamento, neste local, desde o ano de 1989, tendo sido reabilitada pela altura da Expo’98.

O efluente descarregado no meio recetor pela ETAR de Beirolas apresenta um índice de qualidade excecional, cumprindo os requisitos de descarga, tendo, inclusive, a água tratada com potencial para ser reciclada e reutilizada em lavagens e rega de espaços verdes.
Na cerimónia de assinatura do auto de consignação desta vão estar presentes o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, o vereador da Câmara Municipal de Lisboa, José Sá Fernandes, o presidente da Junta de Freguesia do Parque das Nações, Mário Patrício, e presidente do Conselho de Administração da Águas do Tejo Atlântico, António Frazão.

Entre o Ministério do Ambiente e a Água do Tejo Atlântico, em Beirolas.

A também conhecida como Fábrica de Água de Beirolas será dotada com melhores condições de infraestruturas. Segundo um comunicado das Águas do Tejo Atlântico, a intervenção irá resultar “na melhoria das condições socio-ambientais das populações servidas e da recolha, tratamento e rejeição dos efluentes de forma ambientalmente segura”.

A empreitada irá também “permitir o aumento da capacidade nominal do tratamento de efluentes, em particular, na resiliência na gestão dos caudais pluviais e o aumento da capacidade do sistema de ventilação e desodorização, com benefícios significativos para o ambiente e para as áreas circundantes”.Em concreto, a obra inclui a beneficiação da obra de entrada e do tratamento preliminar, a construção de uma linha para tratamento de caudais de tempo húmido, o aumento da capacidade de elevação para o tratamento biológico, a beneficiação da linha de lamas, e a remodelação do sistema de desodorização da fase líquida e o melhoramento do confinamento das zonas de maior produção de odores no edifício da obra de entrada e decantadores primários.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.