É já no próximo dia 10 de abril que arranca em Lisboa um conjunto de conferências e sessões de trabalho que vão juntar mais de 100 representantes de 25 cidades europeias e nacionais.Inserido no âmbito do Programa Europeu de Sharing Cities, estes encontros vão debruçar-se fundamentalmente sobre o futuro das cidades inteligentes no continente europeu.

Até dia 13 de abril, três espaços distintos vão receber os eventos dedicados à inovação e empreendedorismo.
O primeiro é o Centro de Informação Urbana de Lisboa (CIUL) que irá receber a assembleia geral e as reuniões de trabalho dos 35 membros de consórcio do programa com financiamento comunitário H2020 Sharing Cities, entre nos dias 10 e 11 de abril.

Segue-se o Centro de Congressos de Lisboa, no dia 12 de abril, que acolherá a conferência pública sobre o panorama de inovação na cidade de Lisboa.

Por fim, a Praça do Município, com o Showroom Sharing Cities. Aqui as 25 cidades acolhidas vão poder ver demonstrações de soluções (implementadas para Lisboa) destinadas a smart cities.

Destaque ainda para a assembleia geral e as reuniões de trabalho que juntam o programa Sharing Cities, com representantes de 16 outros programas europeus H2020 na área das cidades inteligentes no CIUL e Centro de Congressos de Lisboa.

Com uma escala europeia, o Programa Sharing Cities visa desenvolver e partilhar soluções inteligentes que possam ser replicáveis para as cidades. Atualmente, o programa conta com 24 milhões de euros de financiamento da União Europeia, ao abrigo do programa H2020.

Propagar as suas soluções em 100 cidades na Europa e atrair 500 milhões de euros em investimento público e privado são alguns dos objetivos práticos deste programa.

Já o consórcio Sharing Cities desenvolveu entre 2016 e 2018 um conjunto de soluções com tecnologias inteligentes para cidades. Neste momento estão a ser instaladas e testadas em Lisboa, Londres, Milão, Bordéus, Burgos e Varsóvia.

No caso de Lisboa a coordenação cabe à câmara municipal, que conta como parceiros o o Instituto Superior Técnico, a Lisboa E-Nova, a Reabilita, o Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto, a EDP-Distribuição, a Altice Labs, e a Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL).

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.