Haverá ateliers de costura, maquilhagem, musicalidade, letras, coreografia e cenografia. E uma disciplina sobre a história das marchas, desde a década de 1930.

A Escola de Marcha Carlos Mendonça, em Alfama, no Centro Cultural Dr. Magalhães Lima (CCML), não impõe limite de idades, estando aberta a crianças, jovens e adultos e tendo também o objectivo de criar uma marcha sénior, para os mais velhos.

O primeiro trimestre vai de 18 de setembro a 15 de dezembro. A 8 de janeiro começa o segundo. A marcha infantil será a dos Alfaminhos e a dos séniores a dos Alfamões. Haverá ateliers teóricos e práticos de costura, maquilhagem, musicalidade, letras, coreografia e cenografia. Existirá também uma disciplina sobre a história das marchas, desde a década de 1930 até à actualidade, e a criação do Museu da Marcha de Alfama está englobada no mesmo projecto. Os alunos terão uma área de estudos de museologia e a possibilidade de assistir à elaboração do espólio.

Elementos de todas as marchas participam na criação desta escola. Mário Rocha, Ricardo Dias e Carla Rocha serão alguns dos professores com que contará.

Uma das inspirações da Escola Carlos Mendonça é, precisamente, uma das suas frases: “Leitão de Barros criou as marchas de Lisboa. Mais tarde fui eu que as vim inovar”. Inovar é, também a intenção do CCML, e da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, o que esperam conseguir com este projecto.