O presidente da Câmara Municipal de Lisboa entregou ao sr. Joaquim Barata a chave de um apartamento de realojamento no Bairro Padre Cruz, em Lisboa.

O maior bairro da Península Ibérica, o Padre Cruz, está a ser alvo de um processo de requalificação integrado, estando neste momento a ser finalizada a segunda fase desta operação, com realojamento de famílias e construção de novas habitações. No total, a empreitada de renovação da zona de alvenarias vai atingir cerca de 510 habitações, começadas a construir nos anos 60 e que já não respondem às condições de habitabilidade dos agregados.

Fernando Medina, em declarações aos jornalistas, realçou: «Tal como nas anteriores fases da requalificação do bairro, as habitações desta fase estão a ser dotadas com as características que distinguem o projeto de nova habitação pública do Município. Sustentáveis e amigas do ambiente, estas casas têm aspetos especiais no que respeita à tipologia (evolutiva), pois podem adaptar-se ao crescimento das famílias que nelas venham a habitar, entre outras opções inovadoras em termos de acessibilidade e eficiência energética».

Na perspectiva do presidente  da edilidade lisboeta, «nasce, assim, uma nova geração de habitação pública que começou a tomar forma nos Bairros da Boavista e Padre Cruz, com a construção de imóveis que vão substituir as zonas de alvenaria, com mais de cinquenta anos de uso e desgaste», lembrando que este é «um processo de luta longa e que não seria possível de concretizar sem a colaboração de todas as entidades e parceiros».

Segundo Fernando Medina, a requalificação é um «processo contínuo que não vai parar».

Fábio Sousa, presidente da Junta de Freguesia de Carnide, adianta que a substituição da zona de alvenarias no Padre Cruz insere-se num processo de revitalização global deste bairro, o maior da Península Ibérica, salientando que este é um importante investimento na «qualidade de vida das gentes deste bairro», lembrando que o importante «é valorizar as pessoas».

Este programa envolve 529 famílias (cerca de 2000 pessoas vivem nesta área de alvenarias) com realojamento em fases sucessivas, infraestruturação e construção das novas habitações para substituir as antigas alvenarias.

De realçar que a tipologia evolutiva que permite à casa crescer com a família (acrescentando, se for necessário, uma divisão), acessibilidade universal, os sistemas de eficiência energética e reciclagem de águas são algumas das características dos projetos escolhidos pela Câmara Municipal de Lisboa para este investimento.

No total, serão construídas mais de 1000 habitações novas nos bairros lisboetas de Padre Cruz, Boavista e Cruz Vermelha, num processo participativo que envolve as pessoas, as associações locais, as juntas de freguesias.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.