Foi simbolicamente no Dia da Árvore a Câmara Municipal de Lisboa inaugurou o Parque Urbano do Vale da Montanha, o mais recente espaço verde da capital.

Com 11 hectares, o parque fica situado entre as traseiras da Avenida Gago Coutinho e a Avenida Marechal António Spínola.

No dia da inauguração, Fernando Medina fez-se acompanhar por mais de cem crianças do Agrupamento de Escolas de D. Dinis. Com mais novos, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa ajudou a plantar cerca de três dezenas de espécies autóctones, tais como choupos, alfarrobeiras, pinheiros mansos, freixos e salgueiros.

Segundo o autarca, este foi “um parque desenhado de forma ambientalmente sustentável e que vai mudar a vida e a forma como esta cidade vai ser vivida”. Por outro lado, destacou a “grande importância mais 11 hectares devolvidos à cidade e que vai permitir ligar outros espaços verdes da cidade”.

E acrescentou: “estamos a consolidar a zona verde para a fruição de todos os lisboetas”.

Tal como revelou Fernando Medina, o projeto vai estender-se até ao rio Tejo, totalizando um área de 150 hectares de verde nesta zona da cidade.

Anteriormente abandonado e degradado, o novo Parque Urbano do Vale da Montanha disponibiliza ainda percursos pedonais e clicáveis, um parque infantil e um quiosque.

Também presente na inauguração, José Sá Fernandes disse que este espaço verde “é tudo aquilo que de deve fazer num país do sul da Europa em termos ambientais e de combate às alterações climáticas e que, acima de tudo, liga bairros e une pessoas”.

O vereador do Ambiente, Estrutura Verde, Clima e Energia considera que “este é um parque construído pelos lisboetas, que ajudaram na plantação das árvores, e para os lisboetas”.

Nesta primeira fase, o parque estende-se entre a Avenida Marechal António Spínola e a ponte ciclo pedonal que liga a Bela Vista ao Casal Vistoso e proporciona uma nova ligação entre o Bairro do Armador, as Olaias e as Avenidas Novas formando um contínuo com o Parque da Bela Vista.

Para além da plantação de árvores e arbustos, instalação de prados e relvados, a intervenção permitiu, através da modelação do terreno, a diminuição do impacto sonoro e visual das Avenidas Marechal António Spínola e Estados Unidos da América.

No Parque Urbano do Vale da Montanha, à semelhança do Parque da Bela Vista, é possível reduzir a regularidade de manutenção, graças à opção pelo prado biodiverso de sequeiro e pelas espécies arbóreas adaptadas às características do solo e clima desta zona, diminuindo a necessidade de rega.

Segue-se agora a segunda fase desta intervenção que, segundo a autarquia lisboeta, vai iniciar-se “em breve”.

Esta segunda fase permitirá concluir a expansão do Corredor Verde Oriental, que ligará o Areeiro a Marvila, nos já referidos 150 hectares.