Já abriu a 88ª edição da Feira do Livro de Lisboa no Parque Eduardo VII e o Presidente da República não faltou à chamada.

Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, e Luís Filipe Castro Mendes, ministro da Cultura na inauguração da grande festa do livro, promovida pela Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL).

A Feira do Livro de Lisboa conta este ano com quase 300 pavilhões e com mais de 620 marcas de editoras.

Esta edição traz também mais espaço ao evento (mais 3 mil metros quadrados do que em 2017) e novidades em relação aos horários: de segunda a quinta-feira, a feira vai encerrar às 22h00m. Desta forma, a “Hora H” de promoções especiais terá o seu início às 21h00m.

A participação da Câmara de Lisboa também tem alterações. A loja BLX é a grande novidade que as Bibliotecas de Lisboa trazem este ano à Feira do Livro.

“O conceito, que está já a funcionar com um modelo piloto no átrio da Biblioteca Palácio Galveias, pretende revitalizar e dar continuidade à atividade da Livraria Municipal”, revela a autarquia em comunicado.

“A loja BLX vai estar disponível em algumas bibliotecas da Rede, onde vão divulgar e vender as edições da Câmara Municipal de Lisboa e promover a cultura e o património da cidade”, adianta a nota.

A organização da Feira do Livro garantiu ainda o alargamento das zonas de sombra, que este ano chegam às esplanadas e zonas de alimentação.

Há também um reforço da área de “showcooking”, uma experiência já testada em 2017.

A 88ª edição da Feira do Livro de Lisboa encerrará a 13 de junho, dia de Santo António