Deixou de ser um espaço abandonado no Bairro Alto para se tornar num local de promoção das artes e ofícios.

O antigo Mercado do Bairro Alto transformou-se no Mercado de Ofício, naquela que foi uma parceria entre a Câmara Municipal de Lisboa, Junta de Freguesia da Misericórdia,  Fundação Ricardo Espírito Santo Silva e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O espaço inaugurado ontem é agora um polo de formação de várias técnicas das artes e ofícios, como a marcenaria, a talha, a conservação e restauro, a serralharia, a soldadura, a latoaria e joalharia, a encadernação, a cerâmica e azulejo, o douramento ou a tecelagem.

Durante a inauguração, Fernando Medina manifestou-se agradado por se “devolver um espaço abandonado ao Bairro Alto e à cidade”. Para o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, “o que marca mais este projeto é o facto de estar virado para o futuro”.

E acrescentou: “somos mais conhecidos pela força e energia em recuperar aquilo que é tradicional e identitário. Sentimos que esta época de expansão é uma oportunidade de utilizar o nosso património como forma de afirmação da nossa identidade”.

Já Carla Madeira sublinhou que esta é “a concretização de um sonho para a Freguesia da Misericórdia”. A presidente de junta destaca o projeto como “um exemplo bem sucedido ao nível da requalificação urbanística”.

Depois de investir 100 mil euros na requalificação do espaço, a Junta de Freguesia da Misericórdia deu assim, na opinião de Carla Madeira, um contributo importante na “modernização do território, requalificação do património e no aumento da qualidade de vida das pessoas”.

De “vitalidade” falou também Pedro Santana Lopes, atual presidente da  Fundação Ricardo Espírito Santo Silva, quando classificava a “aposta na preservação das artes e ofícios e da identidade da cidade”.

“A fundação aceitou o desafio de colaborar com os jovens, fazendo aquilo que é imperativo fazer hoje em dia, que é conciliar a força e a beleza da tradição com a vertigem deste progresso acelerado em que vivemos”.

Outro dos parceiros do projeto é a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, um instituição que, segundo o seu provedor, Edmundo Martinho, tem a “preocupação de dinamizar as comunidades”, e que não poderia ficar de fora de uma iniciativa que “tem a capacidade de juntar a inovação ao respeito pela tradição e pelo património”.

O Mercado de Ofícios do Bairro Alto é uma das medidas do Plano Municipal de Mercados da Cidade de Lisboa, através do qual a autarquia pretende dinamizar mercados que estavam estagnados ou desativados.

O novo mercado funcionará também com atividades em dias abertos ao público em geral, tais como workshops, eventos temáticos e exposições.

 

 

 

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.