PS ganha no círculo eleitoral de Lisboa

Mais de 10 milhões de eleitores recenseados em Portugal e no estrangeiro foram, este domingo, chamados às urnas para eleger os 21 representantes nacionais no Parlamento Europeu. Os resultados ditaram a vitória do PS e o empate no número de deputados entre o CHEGA, (o grande derrotado) e o IL. À Esquerda, CDU e BE elegeram um deputado.

O CHEGA foi o grande derrotado das eleições europeias, mas o PAN também. Ou seja, estas eleições servem para toda a gente tomar um banho de água fria”, à exceção da Iniciativa Liberal, que teve um “excelente resultado”. Quanto aos restantes concorrentes, não há muito a dizer: o Governo “jogou tudo” para tentar aumentar os votos na Aliança Democrática e, mesmo assim, “conseguiu um resultado parecido com o das legislativas.

O Partido Socialista venceu as eleições deste domingo, com 32,1% dos votos e oito deputados eleitos para o Parlamento Europeu. A Aliança Democrática, coligação PSD, CDP-PP e PPM, ficou ligeiramente atrás, com 31,12% dos votos e sete deputados eleitos. CHEGA (9,79%, dois deputados), Iniciativa Liberal (9,07%, dois deputados), Bloco de Esquerda (4,25%, uma deputada) e CDU (4,12%, um deputado) foram as restantes forças políticas a garantir representação em Bruxelas. Livre (3,75%) e PAN (1,22%) ficaram de fora.

Na Área Metropolitana de Lisboa, a ordenação é diferente. A IL, por exemplo, ficou em terceiro lugar. O Livre, em quinto, à frente de BE e CDU. E o PS não garantiu o primeiro lugar em todos os concelhos: Sintra, Amadora, Odivelas, Loures, Vila Franca de Xira, Arruda dos Vinhos, Sobral de Monte Agraço, Alenquer, Azambuja e Cadaval deram a vitória aos socialistas; mas a preferência dos demais foi pela AD. No mapa eleitoral, pintaram-se a laranja os concelhos de Lourinhã, Torres Vedras, Mafra, Cascais, Oeiras e Lisboa.

Na capital, a AD ganhou com 27,9% dos votos e o PS ficou-se pelos 26,71%. Seguiram-se IL (14,67%), Chega (7,64%), Livre (7,5%), BE (6,1%), CDU (4,87%) e PAN (1,36%). Ou seja, além da mudança no topo, também se registam, face aos resultados nacionais, diferenças na relevância eleitoral dos outros partidos, em particular da IL e do Livre, embora também do BE – e, em sentido oposto, do Chega, que em Lisboa tem um peso inferior ao que granjeou em todo o país, mesmo com a queda acentuada em relação às recentes eleições legislativas de Março.

Já em Loures, o PS ganhou com 35.27%, seguindo-se a AD com 22.24%, em terceiro lugar ficou o CHEGA com 11.52%, em quarto o IL com 9.70%. A CDU ficou em quinto lugar com 7.20%.

Em Odivelas, os resultados foram idênticos aos de Loures. PS – 34.46%; AD – 23.25%; CHEGA – 12.41%; IL – 10.04%; e CDU – 4.54%.

Na Amadora os resultados foram os seguintes: PS – 36.65%; AD – 22.25%; CHEGA – 10.81%; IL – 8.89%; CDU – 5.53%.


Sintra: PS – 32.88%; AD – 24.24%; CHEGA – 13.10%; IL – 9.59%; BE – 5.10%; LIVRE – 4.64%; CDU – 4.45%

Em Almada, o PS    manteve a liderança com 34.13% de votos       34,13%; PPD/PSD.CDS-PP.PPM – 20.93%; CHEGA – 10.07% de votos     10,07%; IL – 9.59% de votos; e PCP-PEV – 8.67% de Votos.

Pelo contrário, em Oeiras a AD ganhou com 30.05%, seguindo-se o PS com 28.13%, IL com 14.44%, CHEGA com 7.61% e LIVRE com 6.04%.

Em Cascais os resultados foram muito idênticos aos de Oeiras: AD – 32.99%; PS – 25.61%; IL – 14.11%; CHEGA – 10.27%; e LIVRE – 4.59%

 

Quer comentar a notícia que leu?