A PARTIR DO DIA 1 DE JANEIRO PAGA MAIS POR LEVAR O CARRO À INSPEÇÃO

Levar o carro à inspeção vai ficar mais caro no próximo ano. Em causa está uma atualização que tem por base a taxa de inflação referente a novembro de 2021, de acordo com uma portaria publicada, em Diário da República.

A ida à inspeção do seu carro vai ficar mais cara em 2022. As novas tarifas das inspeções técnicas a veículos rodoviários foram publicadas em Diário da República na segunda-feira, 27 de dezembro, e entram em vigor a partir de 1 de janeiro do próximo ano.

O aumento dos preços é superior a 0,9% e tem em conta a taxa de inflação (sem habitação) registada no último mês pelo Instituto Nacional de Estatística.

O despacho recorda que «as tarifas são atualizadas, anualmente, de acordo com a taxa de inflação medida pelo índice de Preços no Consumidor Total (sem habitação) – taxa de variação média anual por referência ao último mês que esteja disponível, publicado pelo Instituto Nacional de Estatística», que foi de 0,99%.

Os preços …

Se for com um carro ligeiro à inspeção periódica, terá de pagar mais 31 cêntimos a partir de 1 de janeiro: a tarifa sobe para 31,80 euros. O preço-base sobe de 25,60 para 25,85 euros, a que acresce a taxa de IVA de 23%.





Se tiver um veículo pesado, o aumento é de 47 cêntimos: a tarifa base sobe de 38,31 para 38,69 euros. Com a taxa de IVA incluída, o novo preço é de 47,59 euros.

Se precisar de levar a mota, triciclo ou quadriciclo, passará a pagar 16,01 euros em vez de 15,85 euros (IVA incluído).

Com um reboque ou semirreboque, a nova tarifa será de 31,80 euros (IVA incluído).

Uma reinspecção custará 7,97 euros (em vez de 7,90 euros); para atribuição ou reposição de matrícula passarão a ser necessários 79,37 euros (em vez de 78,60 euros).

Caso seja necessária uma inspeção extraordinária, terá de pagar 111,01 euros (em vez de 109,93 euros).

Se precisar de emitir uma segunda via da ficha ou do certificado de inspeção, passará a gastar 2,99 euros (em vez de 2,96 euros).

As inspeções técnicas são obrigatórias para os veículos ligeiros, automóveis pesados, motociclos, triciclos e quadriciclos com cilindrada superior a 250 cm3 e ainda reboques e semirreboques com peso igual ou superior a 750 kg e inferior a 3.500 kg, segundo informação do Instituto da Mobilidade e dos Transportes.

Foto: itvp.pt

Quer comentar a notícia que leu?