ALCÂNTARA VAI TER CASA ABERTA À VACINAÇÃO ANTI-COVID PARA MAIORES DE 50 ANOS ATÉ ÀS 21 HORAS

0

A partir de segunda-feira, Lisboa vai ter um centro em Lisboa, em Alcântara, para vacinação Covid 19 sem agendamento, aberto até às 21 horas, para pessoas com 50 ou mais anos, que estejam inscritos nos centros de saúde de Lisboa Norte e que não tenham tido Covid-19 nos últimos seis meses.

«Vamos ter, já a partir de segunda-feira, um centro em Alcântara que vai funcionar no formato de atendimento livre para todas as pessoas que estejam nas faixas etárias abrangidas no plano de vacinação, para que se possam ir vacinar sem pré-marcação», revelou o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, durante a visita efetuada pelo Presidente da Republica, Marcelo Rebelo de Sousa, ao novo centro de vacinação no pavilhão 3 do Estádio Universitário de Lisboa, acompanhado pelos ministros da Saúde e da Defesa Nacional, pelo chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, pelo reitor da Universidade de Lisboa e pelo coordenador da estrutura responsável pelo plano de vacinação nacional contra a Covid-19.

De acordo com o presidente da Câmara de Lisboa, este centro vai funcionar entre as 07.00 e as 21.00 horas e enquadra-se nas medidas tomadas pela autarquia lisboeta para acelerar a vacinação em Lisboa, região onde se têm registado nos últimos dias os maiores casos de infeção diários por covid-19. Por outro lado, a partir de 1 julho, o Centro de Vacinação no Pavilhão da Ajuda vai funcionar 14 horas por dia, até 22 horas, e vai ter um regime livre de vacinação das 19 às 21 horas para todos os cidadãos em idade de vacinação.

Segundo Fernando Medina, existem «condições logísticas e operacionais para que a vacinação seja acelerada», sublinhando que a capital tem «capacidade para aumentar em 50% os números da vacinação nos centros existentes».

Para esse aumento da capacidade de vacinação, o autarca frisou ser necessário «um esforço grande de contratação de mais enfermeiros e um alargamento dos horários de funcionamento dos centros», que poderão funcionar também aos sábados e aos domingos

Entretanto, também esta quarta-feira reabriu o centro de vacinação contra a covid-19 do pavilhão 3 da Cidade Universitária, em Lisboa, para vacinar pessoas acima dos 50 anos de idade sem agendamento, com uma equipa constituída por «28 militares dos três ramos das Forças Armadas, com capacidade para administrar cerca de 1.200 doses diárias».





O Presidente da República, que visitou hoje este centro de vacinação em Lisboa para pessoas a partir dos 50 anos sem agendamento, considerou que a solução para conter a Covid-19 em Portugal é «vacinar, vacinar, vacinar».

Nesta visita, Marcelo Rebelo de Sousa explicou as razões da sua deslocação, «precisamente para chamar a atenção para a prioridade da vacinação. É uma corrida contrarrelógio, a favor dos portugueses, com a colaboração dos portugueses» reiterando que «a solução duradoura para esta pandemia é a vacinação».

«O Eurostat nos últimos números mostra que os portugueses são em toda a Europa aqueles que mais acreditam na vacinação. Agora é preciso passar das palavras aos factos. Isto é, se acreditam, aqueles que possam traduzir isso em atos, para além dos muitos, muitos que já foram vacinados, devem fazê-lo», defendeu, acrescentando que, até final de agosto, crê que «já teremos uma percentagem muito significativa de vacinados em Portugal».

Para Marcelo Rebelo de Sousa, o centro de vacinação no pavilhão da Cidade Universitária para pessoas a partir de 50 anos sem agendamento consiste em «uma só toma» e adiantou que o horário «irá ser até às oito da noite», destacando e elogiando ainda «a colaboração entre os ministérios da Saúde e da Defesa Nacional, com um empenhamento dos nossos militares dos três ramos das Forças Armadas aqui em conjunto com o Ministério da Saúde, em conjunto com a Câmara Municipal de Lisboa».

Mais restrições nos horários de restaurantes

Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa admitiu, perante a situação da pandemia no concelho de Lisboa, a possibilidade de mais restrições, sobretudo para os horários dos restaurantes. «Se amanhã for aplicado, pelo Conselho de Ministros, o quadro que é público, da matriz que está definida, vai ter algumas implicações relativamente a horários de funcionamento. A mais relevante é a restrição do horário da restauração às 15h30 de sábado e o não funcionamento durante o resto do fim de semana. É, no fundo, a restrição com mais impacto, mas caberá ao Governo fazer a avaliação e divulgação», defendeu Fernando Medina.

Segundo Fernando Medina, «o cenário mais provável é o concelho recuar nas medidas de desconfinamento, no âmbito da avaliação do Governo ao mapa de risco de transmissibilidade da Covid-19». Ou seja, está nas mãos do Governo a decisão de Lisboa fazer marcha-atrás no plano de desconfinamento.

Lisboa é um dos concelhos com mais casos de covid-19 e que, no âmbito da última reunião do Conselho de Ministros, em 17 de junho, ficou sujeito a medidas mais restritivas, inclusive a proibição de circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa (AML) durante o fim-de-semana, entre as 15h de sexta-feira e até às 6h de segunda-feira.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here