Trezentas e três famílias beneficiam do cabaz solidário na freguesia de Belém, revela o presidente da Junta de Freguesia de Belém, Fernando Rosa.

Belém é vista como uma freguesia onde vivem pessoas de um estrato socioeconómico médio-alto. Mas Fernando Rosa, presidente da Junta de Freguesia, desmonta um pouco essa ideia, recordando que existem muitas famílias que dependem do apoio social da freguesia.

Em entrevista a «Olhares de Lisboa», o autarca refere-se às obras de reabilitação nos parques infantis e na atenção que existe na preservação dos passeios, dando um especial enfoque ao «transporte solidário para pessoas previamente inscritas», no âmbito do envelhecimento ativo e saudável.

Segundo o autarca, «queremos que os idosos tenham uma vida o mais ativa possível».

Mas, para Fernando Rosa, o ‘cartão’ de compras, dado a a famílias carenciadas, é um dos projetos principais da Junta de Freguesia, recordando que algumas das verbas arranjadas para esse ‘cartão’ é proveniente do dinheiro que «deixaram de gastar com as iluminações de Natal».

Olhares de Lisboa (OL) – Alguns habitantes de Belém queixam-se do estado de degradação dos passeios. Essa situação corresponde à realidade?

Fernando Rosa (FR) – Há duas questões que precisam de ser esclarecidas. Uma são os buracos das ruas, outra são os buracos nos passeios. O das ruas não tem diretamente a ver connosco, é uma competência da câmara municipal. Aí tem-se feito um grande trabalho ao asfaltar as ruas, uma delas é a rua Bartolomeu Dias, que era fundamental. Estamos preocupados.  só tem cinco metros de largura nos dois sentidos, porque poderá levantar problemas de segurança quando dois autocarros passam em simultâneo.

Quanto aos passeios, temos, permanentemente, uma equipa ou duas a arranjarem os passeios. Já tínhamos feito o rebaixamento dos passeios em Santa Maria de Belém.

Vamos gerindo esta situação dos passeios consoante as reclamações que vamos tendo.

OL – Uma das situações prende-se com a falta de espaços infantis. A junta de freguesia tem planos para a criação de mais parques infantis?

FR – Há um espaço que foi completamente recuperado, que estava degradado; o Jardim Vasco da Gama, no centro de Belém. Vamos lançar uma empreitada de largas dezenas de milhares de euros em investimento.

Um dos parques infantis, a ser completamente substituído, é o de Caselas.

Os outros vão ser integralmente reformulados. Tecnicamente, são situações complicadas. Ao contrário do que pensava, a nossa brigada especial não consegue resolver algumas das situações. São coisas muito minuciosas, por causa das regras comunitárias. E, por isso, tive de contratar uma empresa homologada para esse tipo de trabalhos. A empresa está a fazer não só a reabilitação dos parques infantis, que são cerca de oito, como também do fitness park. Fomos a primeira freguesia a espalhar por Belém fitness parks, para as pessoas puderem fazer desporto ao ar livre

OL – Quais as principais medidas tomadas no âmbito da ação social.

FR – Há uma medida, para mim é emblemática, temos 330 famílias com um rendimento per capita inferior ao Indexante de Apoios Sociais e que beneficiam dos cabazes solidários. O cabaz solidário é ‘um cartão’ que damos às famílias selecionadas, depois de entrevistadas pelas assistentes sociais e, durante um ano, essa família vai com o cartão comprar as coisas sem dar nas vistas. Conseguimos certas verbas, com o que deixamos de gastar com as iluminações de Natal.

Temos ainda o transporte solidário, para transportar pessoas previamente inscritas, para os locais, no âmbito do envelhecimento ativo e saudável. Nós queremos que os idosos tenham uma vida o mais ativa possível. Somos como uma família para eles.

Temos um Centro Social que fizemos a custo zero, com um pavilhão multiusos e um anfiteatro para 120 pessoas sentadas.

Há a ideia de que a freguesia Belém e o Restelo são de gente rica. Isto não é bem verdade. Temos situações de pessoas que tinham uma vida confortável e, por razões de saúde e familiares, agora atravessam dificuldades.

É um bairro interclassista, como na zona de Pedrouços ou da Junqueira, são zonas mais complicadas. Temos um pouco de tudo na freguesia.

Ler inquéritos de freguesia 

Quer comentar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.