CAMPO DE OURIQUE PROJETA FUTURO

0

Aos poucos e pouco, Lisboa está a retomar «à normalidade possível». E, é isso mesmo que Olhares de Lisboa quer «mostrar» com a edição especial sobre a Freguesia de Campo de Ourique, já disponível para download, que agora chega as suas mãos.

Um dos temas da edição especial Campo de Ourique, do jornal Olhares de Lisboa, prende-se com a inauguração, presidida pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, de um novo equipamento social, em Campo de Ourique, com Academia de Atividades, Residência Assistida e Centro de Dia, que integra o Projeto Espaços InterAge, do Programa “Lisboa, Cidade de Todas as Idades”: o Centro Intergeracional Ferreira Borges tem capacidade para 60 pessoas, com residência assistida, apoio alimentar até 100 refeições a famílias carenciadas, e um espaço de inclusão digital.

Neste número, o presidente da Junta de Freguesia de Campo de Ourique, Pedro Costa, dá-nos conta que quer «encurtar distâncias» com a criação de mais Carreiras de Bairro, com a melhoria dos passeios, com uma maior proximidade entre autarquia e comunidade e quer continuar a apoiar o movimento associativo. Ao mesmo tempo, o autarca já pensa nas grandes obras que quer realizar no segundo mandato à frente da Junta de Freguesia, nomeadamente a recuperação da Rua Ferreira Borges e a reconversão do pátio das Sedas, onde irão ser criados 400/600 novos lugares de estacionamento.

Pedro Costa, apesar de estar a projetar algumas grandes obras, não esquece a necessidade de apoiar o tecido empresarial local e, por isso, vê com bons olhos «a luta» dos comerciantes locais para fundarem uma associação que defenda os seus interesses. Aliás, como nos diz Vini Lisboa, um dos rostos deste movimento associativo, que nasceu durante a crise pandémica, a ideia por trás desta iniciativa, que conta com o apoio da Junta de Freguesia, é incentivar os comerciantes a «unirem-se», porque «todos juntos vamos conseguir ultrapassar os efeitos económicos da Covid 19».

Nesta edição especial falamos ainda dos bombeiros Voluntários de Campo de Ourique que, sem torre de treinos e numas instalações «emprestadas» pela EPAL, vai ter um novo quartel em terrenos municipais às Amoreiras. Projeto e terreno já existem, mas falta o financiamento que implica uns largos milhões de euros.

Um outro tema em destaque nesta edição, onde se fala também do Clube Atlético de Campo de Ourique, tem a ver com a inauguração de mais um bocado da frente ribeirinha que foi devolvida a Lisboa. Trata-se da estação fluvial Sul e Sueste e a Doca da Marinha que reabriu ao público, passando a capital a ter mais um pouco de vista de rio, com novas áreas de lazer e propostas de passeios de barco no Tejo. Com um projeto de Ana Costa, a arquiteta neta do arquitecto Cottinelli Telmo, o «criador» da estação fluvial, em 1929, esta «reabilitação pretende criar um grande ponto de comunicação entre as margens do Tejo».




Descarregue e leia a edição OL - CAMPO DE OURIQUE no seu computador, tablet ou telemóvel

 

 

 

 

 

Quer comentar a notícia que leu?