CARLOS MOEDAS NOMEIA NUNO SEBASTIÃO PARA ACELERAR UNICÓRNIO

0

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, visitou esta manhã, o Hub Criativo do Beato para fazer o reconhecimento do estado atual do projeto e anunciar a nomeação do empresário Nuno Sebastião, como alto comissário do município de Lisboa para a Ciência e Tecnologia.

«Temos que marcar golos na inovação das empresas e, esta fábrica de empresas  ou fábrica de unicórnios, onde os jovens empreendedores podem desenvolver as suas ideias e sonhos, pode e deve ser o “trampolim” para os empreendedores criarem grandes empresas», afirmou hoje, de manhã, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, durante uma visita ao Hub Criativo do Beato que, 5 anos depois de ter sido anunciado por Fernando Medina, deverá abrir as portas, 1ª fase, no primeiro trimestre de 2022.

Desta forma, a “Fábrica de Unicórnios” anunciada por Carlos Moedas durante a campanha eleitoral e recentemente na Web Summit deverá materializar-se no Hub Criativo do Beato, explicou o presidente da Câmara Municipal, defendendo que a «primeira prioridade é a inovação». O objetivo de tudo isto, afirma Moedas, é o de trazer a Lisboa «um novo ânimo» e uma melhor concretização entre o sonho dos empreendedores e os detalhes que os levam a ser bem-sucedido.

Acompanhado pelo vereador da Economia e Inovação da Câmara de Lisboa, Diogo Moura, durante esta visita de reconhecimento, guiada por Miguel Fontes, um dos responsáveis da Startup Lisboa, Carlos Moedas anunciou que para ajudar no Hub Criativo do Beato e na implementação da “Fábrica de Unicórnios”, decidiu nomear para alto comissário do município de Lisboa para a Ciência e Tecnologia, o empresário Nuno Sebastião, um dos fundadores da tecnológica Feedzai, referindo que foi escolhido «por ser um homem que é inspirador e que, ao mesmo tempo, sabe o que é criar uma empresa e fazer dela uma grande empresa» e que, segundo adianta o jornal Expresso, «captou 200 milhões de dólares numa ronda de investimento liderada pela KKR, ficando assim avaliada em mais de mil milhões de dólares».

Questão de localização

Após a visita guiada e em declarações aos jornalistas, o presidente da Câmara defendeu que «faz todo o sentido», a Fábrica de Unicórnios ficar instalada no Hub Criativo do Beato, porque é onde se está a desenvolver «um grande projeto de inovação em Lisboa», tendo, aliás, a sua visita ao espaço servido para perceber onde «encaixar essa ideia», recordando que o Beato está historicamente ligado à historia da industrialização portuguesa, tendo sido nessa freguesia de Lisboa que foi implantada a Manutenção Militar.


Salientando que a sua “Fábrica de Unicórnios” se «encaixa bem neste conceito que já existe no Hub Criativo do Beato», Carlos Moedas considera que é aqui onde «faz sentido” ele existir, dada a envergadura de um complexo onde a Câmara Municipal de Lisboa já investiu 18 milhões de euros».

Segundo Carlos Moedas, que ouviu várias queixas sobre os atrasos das obras, o Hub Criativo do Beato passa pela reabilitação das antigas fábricas da Manutenção Militar no Beato, que estão a ser transformadas num centro de inovação para empresas criativas e tecnológicas.

Contudo, em resposta as queixas sobre os atrasos existentes, Carlos Medas prometeu «ver como é que podemos agilizar as aprovações, como é que podemos agilizar a capacidade de tomar determinadas decisões, que muitas vezes estão paradas por uma questão de comunicação entre os próprios serviços». «É necessário colocar as pessoas a trabalhar em conjunto», explicou.

Reuniões semanais

A ideia é que a primeira fase desta “fábrica” seja implementada em 2022 e, para isso, Carlos Moedas vai reunir todas as segundas-feiras com as entidades envolvidas na implementação do projeto.

Por seu turno, Miguel Fontes, diretor executivo da Start Up Lisboa, entidade gestora do Hub Criativo do Beato, assume que as obras têm sido «um puzzle gigante» composto por uma área de 35 mil metros quadrados, que sofreu atrasos. Alguns motivados pela pandemia, mas também porque, «quando falamos de obras, ainda não foi descoberto um modelo de prazos que não deslizem demasiado», assume, sublinhando as dificuldades adjacentes à instauração de um complexo que está localizado na antiga Manutenção Militar no Beato.

Miguel Fontes, que lembrou que todos os edifícios vão ser intervencionados, adiantou ainda que, em conjunto com a Factory, «que está numa fase de conclusão das obras da primeira parte do edifício», também será inaugurado um espaço central de alimentação, o “Praça” vai ocupar três edifícios do Hub – a antiga Fábrica das Carnes, a Oficina Auto e o Edifício Administrativo. O edifício da incubadora empresas tecnológicas Factory já tinha prometido abrir portas em 2018, mas o prazo foi deslizando até 2022, por causa da pandemia e de reforços estruturais

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here