CENTRO CULTURAL DE BELÉM TEM NOVO JARDIM VERTICAL NO “CAMINHO JOSÉ SARAMAGO”

0

O Centro Cultural de Belém (CCB) homenageou, a 21 junho, os “Poetas de Amália” no Caminho Pedonal José Saramago e inaugurou, no primeiro dia de verão, um jardim vertical, no âmbito de Lisboa Capital Verde Europeia.

O verão chegou a, 21 de junho, da melhor forma ao Centro Cultural de Belém (CCB) com a inauguração do novo jardim vertical, implementado no âmbito de Lisboa Capital Verde Europeia 2020. Com 17 metros de altura e uma área de 250 m2, este jardim é constituído por 7524 vasos de plantas variadas escolhidas pelo arquiteto Francisco Caldeira Cabral, projetista dos espaços exteriores e verdes do CCB.

Além da inauguração do jardim, no caminho pedonal José Saramago (percurso de acesso às bilheteiras do CCB), pode contar com homenagens a David Mourão-Ferreira, Alexandre O’Neill, Pedro Homem de Mello, José Carlos Ary dos Santos, Manuel Alegre e muitos outros conhecidos como “Os Poetas de Amália”, no âmbito do centenário do nascimento da fadista. Também ontem foi inaugurada a exposição “O Mar é a nossa Terra”, com curadoria dos arquitetos André Tavares e Miguel Figueira.

Quanto à exposição «cartografa e apresenta as contradições que existem entre a terra e o mar, sob a perspectiva da arquitetura, do ordenamento do território e da construção da paisagem», afirma o CCB.

A mostra «percorre um conjunto de experiências de pensamento, desenho e configuração das linhas de costa e da sua relação com a densa imensidão do oceano», prossegue a apresentação da mostra. «O mar é um lugar: em vez de considerar a água como limite ou espaço de confronto, o mar pode e deve ser um parceiro na construção da terra», acrescenta Elísio Summavielle, presidente do Conselho de Administração do CCB.

Regras e normas de segurança


Elísio Summavielle lembrou que as palavras confiança, segurança e novidade marcam a retoma gradual da atividade do CCB e da relação com a comunidade artística e os utentes deste espaço lisboeta.

Segundo esse responsável, está a ser retomada «gradualmente a oferta cultural e o funcionamento dos serviços», mas, «porque queremos fazê-lo em segurança e com a confiança de todos, foram estabelecidas um conjunto de normas específicas, de acordo com a orientações governamentais e das autoridades de saúde».

Assim, no CCB em diferentes percursos e espaços é visível sinalética, com as regras de acesso, circulação e permanência mantendo o distanciamento social de 2 metros, bem como de lotação máxima dos espaços, necessárias nas presentes circunstâncias de pandemia.

Por outro lado, todos os postos de atendimento ao público estão equipados com barreiras acrílicas de proteção e delimitação no chão da distância obrigatória, estando equipados com dispensadores de gel alcoólico para utilização por parte do público visitante, antes do início das atividades, compra de bilhetes, visita a exposições, entre outros.

Foto: CML

Escreva aqui o seu comentário...