ECO RALLY DE OEIRAS VAI PARA A ESTRADA EM OUTUBRO

0

Oeiras recebe pelo terceiro ano consecutivo, entre 3 e 5 de outubro, o Eco Rally, uma prova de regularidade de veículos elétricos, integrado no Campeonato do Mundo, com classificativas nas serras da Arrábida e de Sintra, passando pelo Autódromo do Estoril

Destinada a veículos de propulsão elétrica, a terceira edição do Oeiras Eco Rally está marcada para os dias 3 a 5 de outubro integra o Campeonato do Mundo da especialidade. Realizando-se sob a égide da Federação Internacional do Automóvel (FIA), a iniciativa é patrocinada pela Câmara Municipal de Oeiras, no âmbito da sua política de promoção da mobilidade suave.

A corrida, já na terceira edição, é realizada em parceria pelo CCP e pela Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK). Este ano, como novidade está o facto de, pela primeira vez, o Oeiras Eco Rally ter «emissões negativas de CO2», adianta Paulo Almeida, presidente do CCP, entidade organizadora da prova.

«Até aqui, este rali era uma prova de ‘emissões zero de CO2’; este ano, inspirados pelo projeto internacional ‘Climeworks-CarbFix’, introduziu-se uma componente que vai permitir rotular esta etapa do campeonato mundial como uma prova de ‘emissões negativas de CO2’. No final da prova, «os concorrentes vão plantar uma árvore, contribuindo assim para a transformação de CO2 em oxigénio e promovendo com esta ação um evento de emissões negativas», afiança o organizador, recordando que estes veículos «não produzem emissões de CO2».

Paulo Almeida explica que esta prova transporta para os elétricos tudo o que se faz nas provas dos clássicos em termo de regularidade e tempos, lembrando que o célebre Ford T, de Henry Ford teve «uma evolução elétrica, mas o lobby do petróleo, aliado ao facto das preocupações ambientais não existirem à época, promoveu os motores de combustão em detrimento dos elétricos».

Com 40 anos de experiência no mundo do automobilismo e antigo adjunto do diretor de provas do Rally de Portugal WRC, Paulo Almeida, o presidente do CCP refere que, «o Oeiras Eco Rally está dividido em duas competições onde se vai medir a regularidade enão apenas a velocidade: a corrida desportiva propriamente dita, que será efetuada de acordo com as regras da FIA, e a componente turística».





Os 25 carros que estão previstos alinhar à partida vão, assim, ter de cumprir as regras previstas para as provas de regularidade dos  carros a combustão. Desta forma, durante três dias, com quatro secções,12 sectores seletivos e com provas que não ultrapassam os 150 Km, os veículos elétricos, com as «cores» dos vários fabricantes, vão ter de respeitar os horários, com controlos virtuais, sendo avaliados em função de tempos, de médias horárias (respeitando a velocidade imposta pela organização) e de consumos.

Um dos aspetos que «pesou» na organização da prova foi a evolução registada, nos últimos 4 anos, em termos de autonomia. Em poucos anos, «os carros deixaram de ter uma autonomia de perto de 200 Km para 350 Km e, como queríamos ter carros de há 3/4 anos limitamos as etapas a 150 Km. Assim, todos os modelos podem estar presentes», afiança.

A terceira edição do Oeiras Eco Rally – que este ano conta com pilotos estrangeiros, oriundos de França, Espanha, Itália e Polónia, entre eles os campeões português e espanhol e o Campeão do Mundo – vai ter como aliciante o primeiro Troféu PRIO CUP que se competirá integralmente no Autódromo do Estoril, que volta, assim, a abrir as suas portas para a disputa de uma prova de um campeonato do mundo organizado pela FIA. O troféu PRIO CUP será realizado em duas mangas, no dia 4 de outubro, às 16:30, com a originalidade de ser uma prova de regularidade disputada em circuito fechado.

«O Oeiras Eco Rally terá a sua base no Jardim do Palácio do Marquês de Pombal, mas o seu acesso estará condicionado pelo cumprimento das eventuais regras inerentes à estratégia de prevenção, contenção e mitigação da pandemia da covid-19 que estiverem a vigorar à data», explica, adiantando que «os carros vão partir e chegar sempre aos Jardins do Palácio. Ou seja, “dormem” sempre em Oeiras».

Um dos momentos altos para o público vai ser a última classificativa, a Oeiras/Prio, planeada para as 13:15 de domingo. Decorre na estrada marginal de Oeiras, que vai estar fechada ao trânsito, entre as zonas de Paço de Arcos e Santo Amaro de Oeiras.

Assim, ao longo dos três dias de competição, as equipas vão demonstrar a sua eficácia ao realizar a melhor gestão possível do consumo energético ao longo do percurso e ao assegurar a regularidade, evitando penalizações nos controlos efetuados pela organização.

Novo capítulo na história das competições automobilísticas

O Eco Rally, do ponto de vista dos organizadores, começou um novo capítulo na história das competições automobilísticas ao ser uma prova inteiramente dedicada a veículos de estrada normais, com um sistema de transmissão elétrico ou outras alternativas de energia. Oeiras foi o primeiro município português a «aderir a essa revolução», tendo sido a única autarquia do Sul a responder ao desafio lançado pelo Clube de São João da Madeira de organizar uma prova destinada, única e exclusivamente, a carros elétricos.

Promover ‘energias limpas’ é a intenção deste Rally de Oeiras, aberto a equipas oficiais e privadas que utilizem veículos de turismo e soluções de mobilidade amigas do ambiente.

Esta é, até ao momento, a única prova automóvel realizada em Portugal com preocupações ambientais e ecológicas, sendo consagrada a veículos de estrada de circulação normal, equipados com um sistema de transmissão elétrico ou outras alternativas de energia.

Tal como acontece nas «provas de regularidade», os pilotos podem concorrer mediante a apresentação de mera carta de condução de ligeiros, sem qualquer tipo de modificação no carro, permitindo assim que os concorrentes, utilizem os seus veículos de uso diário, desde que estejam homologados para circulação rodoviária dentro de União Europeia.

Renault, Opel, Ford, Nissan, os modelos da Smart Fortwo e Forfour Citröen, Tesla e BMW, são alguns dos veículos que vão participar nesta prova que, como faz questão de salientar Paulo Almeida, contou com o apoio total da Câmara Municipal de Oeiras que, na pessoa do vice presidente Francisco Gonçalves, adiantou que, em breve, Oeiras pretende ser o município com maior número de pontos de carregamento de baterias de veículos elétricos instalados em locais de acesso público.

 

 

Escreva aqui o seu comentário...