EM 2021, DIA DO MUNICÍPIO JÁ VAI SER COMEMORADO NA CASA DE PESCA EM OEIRAS

0

No próximo ano, as comemorações do Dia do Município de Oeiras, 7 de junho, vão ser na Casa de Pesca, na Quinta de Recreio do Marquês de Pombal, no Instituto Agronómico. Anunciou Isaltino Morais, durante a sua visita semanal ás freguesias.

A educação, o movimento associativo e o património religioso, foram os principais temas da habitual deslocação «das 6ª feiras» do presidente da Câmara de Oeiras às freguesias do concelho. Ontem, Isaltino Morais «andou» por Laveiras, Paço de Arcos e Alto da Barra, tendo aproveitado a ocasião para anunciar que, no próximo ano, o Dia do Município vai ser comemorado no recuperado Pavilhão da Casa de Pesca que, neste momento, está a ser alvo de ações de restauro e conservação.

A Quinta de Recreio do Marquês de Pombal, classificado com o estatuto de Monumento Nacional, inclui um conjunto monumental icónico composto pelo Complexo da Casa de Pesca (Pavilhão, Cascata do Taveira o tanque, um lago e jardins adjacentes), a Cascata e Mina da Fonte do Ouro, o Pombal, o sistema hidráulico (aquedutos e mães de água) e a Casa dos Bichos de Seda, entre outros, é o local ideal para se comemorar o «7 de junho».

Nesta visita «das 6ª feiras», o presidente da Câmara decidiu «andar» por terras da União de Freguesias de Oeiras, Paço de Arcos e Caxias. Em Laveiras, Caxias, Isaltino Morais esteve no Centro Infantil Nossa Senhora das Dores, uma instituição católica de ensino que acolhe 300 crianças, com idades compreendidas entre os 2 e os 10 anos, tendo atribuído um subsídio de 50 mil euros para «auxiliar» a Irmandade da Nossa Senhora das Dores a pagar as obras de reabilitação já realizadas.

Isaltino Morais, que louvou a qualidade de ensino ministrado neste estabelecimento de ensino, explicou que o subsídio a atribuir também tem «a ver com o apoio que a instituição dá às famílias mais carenciadas». De facto, muitas das crianças que frequentam este Centro Infantil não pagam «propinas» e, as restantes, pagam uma mensalidade em função do rendimento líquido do agregado familiar, referiu a Irmã Conceição Oliveira, diretora pedagógica.

Gerido pela Irmãs Escravas da Santíssima Eucaristia e da Mãe de Deus, o Centro Infantil, a funcionar em Oeiras desde 1942, debate-se com alguns problemas de conservação, existindo planos para uma reabilitação mais profunda. Isaltino Morais mostrou-se disponível para auxiliar as freiras na elaboração de um projeto de reestruturação e disponibilizou uma antiga escola primária de Laveiras para acolher as crianças durante o período em que decorram as obras de reabilitação do edifício.





Recuperar igrejas históricas do concelho

Na Igreja de Nossa Senhora das Dores, contígua ao Centro Infantil, Isaltino Morais «vistoriou» as obras de recuperação do soalho e, aproveitou a visita, para chamar «a atenção» para o facto do teto da igreja «ter sido pintado de branco», o que «lhe retira» toda a magnificência e não realça os baixos e altos relevos esculpidos.

Segundo o presidente da Câmara de Oeiras, todo o património histórico religioso edificado do concelho de Oeiras está a ser recuperado, salientando que, nos últimos anos o município tem «vindo a envidar esforços no sentido de recuperar e manter o património edificado religioso num investimento que já ultrapassa os largos milhões de euros».

Voltando à visita, Isaltino Morais, ainda na Igreja de Nossa Senhora das Dores, prometeu apoiar a Paróquia de Nossa Senhora das Dores, que tem como pároco António José Tavares, com uma verba de 240 mil euros para pagamento das obras, já realizadas, de construção das capelas funerárias.

Procurar soluções para a Escola Náutica

Na Escola Náutica de Paço de Arcos, o presidente da autarquia, acompanhado pelo vereador da Educação, Pedro Patacho, estiveram na AEMAR (Associação de Estudos e Ensino para o Mar – Instituto de Tecnologias Náuticas), uma entidade privada que realiza cursos profissionais destinados a jovens com o 9º ano de escolaridade e com a duração de 3 anos.

Neste estabelecimento, que se depara com graves problemas financeiros, estando em risco o pagamento dos salários dos funcionários, são ministrados cursos de formação de Contramestre da Marinha Mercante, Técnico de Mecânica Naval, Técnico de Mecatrónica e Técnico de Frio e Climatização.

Segundo foi explicado pelos dirigentes da AEMAR, que tem como sócios uma escola profissional e sindicatos ligados à marinha mercante, esta escola de formação profissional tem um passivo de perto de um milhão de euros e várias rendas em atraso (8.500 euros/mês) ao Estado. Perante este cenário económico, que poderá ser «aliviado com a entrada de alguns fundos estatais», a escola encara a hipótese de não conseguir pagar os salários dos seus funcionários.

Garantindo uma elevada taxa de emprego para os seus alunos, a AEMAR decidiu pedir à Câmara de Oeiras que a auxiliasse a contornar estas dificuldades financeiras. Isaltino Morais e o vereador Pedro Patacho ficaram de «estudar a situação» e tentarem encontrar uma solução que, eventualmente, poderá passar pela associação da autarquia, na qualidade de sócia, a AEMAR.

Ensino de vela e canoagem para estudantes

De seguida, a comitiva autárquica deslocou-se ao Clube Náutico de Paço de Arcos, na praia Velha de Paço de Arcos, para visitar o Centro de Formação Desportiva para os alunos do 2.º e 3.º ciclos, e secundário poderem praticar Canoagem, Surf e Vela, de forma totalmente gratuita. As inscrições podem ser feitas junto dos respetivos Agrupamentos Escolares

Isaltino Morais recordou que o município de Oeiras se associou ao Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos para a criação deste novo centro, tendo realizado obras de requalificação, no valor de 13 mil euros e financiou a compra de material e equipamento desportivo, que custou 20 mil euros. A União das Freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Caxias e Paço de Arcos garantiu todo o mobiliário para este centro, com um investimento de dois mil euros.

O Centro de Formação Desportiva em Atividades Náuticas tem como objetivo desenvolver atividades na área, das tutorias aos Grupos/Equipa de Canoagem, Surf e Vela e estágios de formação desportiva especializada, durante o ano letivo e durante as interrupções letivas.

Este projeto que faz parte do Programa Nacional Escola Azul, ao qual o Município de Oeiras está associado, e pretende promover as atividades náuticas no concelho.

Desporto sempre presente

Nesta visita de trabalho, que tem por objetivo dar continuidade a uma política de proximidade, o presidente da autarquia esteve também no histórico Clube Desportivo de Paço de Arcos, onde se formaram algumas das lendas do hóquei nacional, para verificar as obras realizadas a nível de pavimento, que custaram à edilidade 120 mil euros, e inteirar-se das futuras obras de reabilitação e requalificação do edifício deste clube de Paço de arcos, orçada em cerca de 600 mil euros.

Por último, Isaltino Morais esteve no Clube de Vólei de Oeiras, onde questionou o empreiteiro sobre as razões que levaram ao atraso da obra de construção de um muro de vedação.

Escreva aqui o seu comentário...