Fábrica de Água de Alcântara recebeu Ciência Viva no Verão

0

Com o seu telhado verde, que se estende numa área de 27 mil m², é um dos aspetos mais inovadores da Fábrica que recebeu esta sexta-feira, 28 de Julho, o Programa Ciência Viva no Verão.

O Ciência Viva no Verão é há 21 anos o programa de divulgação científica mais aguardado da época estival, com mais de 800 ações e saídas de campo para todas as idades e em todo o país.

A Águas do Tejo Atlântico associou-se a esta iniciativa, abrindo as portas de uma dezena de infraestruturas nestes meses de verão (datas disponíveis aqui).

A água tratada em Alcântara é devolvida ao rio Tejo em condições que respeitam os mais elevados padrões de segurança ambiental e de saúde pública, contribuindo também para um rio e um estuário mais limpo e cheio de vida.






Parte do caudal tratado é reaproveitado e reutilizado para diversos fins, como rega e lavagens, quer na própria instalação, quer pelo município de Lisboa. As lamas resultantes do processo de tratamento são também valorizadas, nomeadamente como fertilizante agrícola.

Um dos aspetos mais inovadores desta Fábrica é o seu telhado verde, com 27 mil m², que permite reduzir o impacto paisagístico desta grande infraestrutura, situada junto a um parque florestal. O telhado verde traz ainda um melhor isolamento térmico e acústico das instalações.

Sobre a Águas do Tejo Atlântico

A Águas do Tejo Atlântico é responsável pela gestão e exploração do sistema multimunicipal de saneamento de águas residuais da Grande Lisboa e Oeste, fazendo parte do Grupo Águas de Portugal.

A Águas do Tejo Atlântico é a maior empresa de saneamento de águas residuais do País, assegurando a recolha, o tratamento e a rejeição de efluentes domésticos e urbanos provenientes de cerca de 2 milhões de habitantes.

A área de atuação da Águas do Tejo Atlântico abrange os municípios de Alcobaça, Alenquer, Amadora, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Cascais, Lisboa, Loures, Lourinhã, Mafra, Nazaré, Óbidos, Odivelas, Oeiras, Peniche, Rio Maior, Sintra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira.

Sabe para onde vai a água depois de a utilizarmos?

Nota: Os temas aqui abordados, fazem parte de um conjunto de notícias e temas a devolver na edição impressa “Olhares de Lisboa” – Nº 2 / Setembro 2017

Contamos consigo!

Até breve.

Escreva aqui o seu comentário...