FERNANDO MEDINA VISITOU ESPLANADAS E ANUNCIOU PROLONGAMENTO DO LISBOA PROTEGE

0

No dia em que reabriram as esplanadas e outros setores do comércio, Fernando Medina anunciou a prorrogação das candidaturas ao segundo programa Lisboa Protege, sublinhando que os apoios, superiores a 23 milhões de euros, chegaram já a quatro mil empresas.

A Câmara de Lisboa apoiou a fundo perdido cerca de quatro mil entidades, sobretudo das áreas da restauração e comércio, no valor total de 23 milhões de euros, e prolongou os apoios até 30 de junho, foi hoje anunciado por Fernando Medina que, esta segunda-feira, 5 de abril, marcada pela segunda fase de desconfinamento, visitou algumas esplanadas na zona do Parque das Nações, admitindo que «a esperança e expectativa é que tudo corra bem e em segurança».

Para o autarca, é importante que se consiga manter «os números baixos para que não seja uma abertura seguida de fecho, e que possamos prosseguir para a terceira fase e que chegar ao verão com um número muito grande de pessoas já vacinadas», salientando a necessidade de mais áreas económicas conseguirem reabrir».

Fernando Medina explicou que com esta visita às esplanadas de Lisboa quis demonstrar a importância que as esplanadas têm para a economia lisboeta».

Dar força e incentivar

Referindo, por noutro lado, que fez questão de visitar alguns restaurantes para dar uma «palavra de força, de incentivo, num momento que é importante para milhares e milhares de negócios», Fernando Medina assegurou que «esta é uma palavra muito importante neste momento, num momento obviamente de dúvida se conseguiremos aguentar este processo de desconfinamento até ao verão. Tenho confiança que sim, mas estaremos cá em qualquer circunstância para apoiar este setor tão importante».


O autarca destacou ainda que um «conjunto muito importante de apoios foram agora prorrogados até 31 de junho caso venham ainda a ser necessários».

O edil relembrou que o programa Lisboa Protege «chegou a tempo e horas aos negócios lisboetas, apoiando a restauração e comércio com apoios entre os mil e dez mil euros», salientando ainda que quatro mil entidades solicitaram o apoio só na cidade de Lisboa, sendo que foram entregues 23 milhões de euros.

Após uma reunião com os empresários da restauração, Fernando Medina garantiu que a «Câmara continua a estar com o setor, e vai alargar as candidaturas ao segundo programa de apoio a fundo perdido» da autarquia, até 30 de junho.

Continuação do desconfinamento

O autarca lisboeta mostrou-se esperançado que o processo de desconfinamento prossiga em 19 de abril, afirmando: «É essa a nossa esperança, é a nossa expectativa, que tudo corra bem, que tudo corra em segurança. Que consigamos manter os números baixos para que esta não seja uma abertura que dê um fecho a seguir».

De acordo com Medina, o setor mais apoiado é o da restauração, seguindo-se o do comércio. No entanto como fez questão de relembrar, os beneficiários têm de registar uma quebra de faturação superior a 25% nos três primeiros trimestres do ano passado ou na totalidade dos trimestres, em relação ao período homólogo de 2019.

#ComércioNaLinhaDaFrente – Serviços e Takeaway

Quer comentar a notícia que leu?