O presidente da Câmara Municipal de Lisboa e a vereadora da Habitação entregaram, ontem,terça-feira, na Penha de França e em Marvila, as primeiras seis chaves de um conjunto de mais de 100 casas que irão receber novas famílias.Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, entregou ontem , na freguesia da Penha de França, a primeira das mais de 100 habitações, abrangidas pelos Programas de Renda Acessível e de Renda Apoiada, que vão ser disponibilizadas pela edilidade.No total são 128 famílias que vão beneficiar desta acção do município que, em 2018, entregou cerca 630 habitações a 625 famílias.Segundo Fernando Medina, “cerca de 25 mil famílias são abrangidas por estes programas de apoio, na maior resposta na área da habitação em Portugal, que percentualmente abrange perto de 20 por cento da população da cidade”.O presidente da edilidade fez questão de realçar que “está é a primeira entrega de chaves, numa acção que abrangerá diferentes pontos da cidade”, salientando: “começamos a entregar casas e a câmara vai estar, durante esta semana, a acompanhar as famílias nas suas casas e na sua nova vida”.O autarca salientou, por outro lado, que este “é o maior investimento em curso na área da habitação dos últimos 40 anos, em diferentes linhas de intervenção articulada”, revelando que o município lisboeta “ampliará, em 2019, o esforço que o tem sido pioneira no lançamento de novos programas, em função das necessidades reais das pessoas e da alteração do quadro social dos últimos anos”.A política de habitação da câmara passa, defende, pela “construção de nova habitação , reabilitação do edificado (tanto em bairros municipais como em património disperso), aquisição de edifícios e disponibilização de terrenos e ainda apoios ao arrendamento”.Por seu turno, a vereadora Paula Marques salientou que “estas acções contribuem, essencialmente, para minorar alguns dos graves problemas habitacionais que existem na cidade de Lisboa”. Joana, assistente social, e Sofia, enfermeira, foram duas das jovens que receberam casa na freguesia de Marvila, ao abrigo do Programa de Renda Acessível. Ambas, apesar de terem uma situação profissional “resolvida”, não tinham capacidade financeira para arrendar uma casa no mercado livre de arrendamento. A única solução que encontraram foi o de concorrerem a este Programa da Câmara municipal de Lisboa, pagando uma renda em função dos seus proventos.Já  Idjalo Duadé e Marineta Fonseca, que receberam casas no bairro dos Alfinetes, foram abrangidas pelo Programa de Renda Apoiada.

 

 

 

About The Author

Related Posts

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.