JARDINS DO PALÁCIO MARQUÊS DE POMBAL RECEBERAM CERIMÓNIA DE BOAS-VINDAS AOS PROFESSORES E EDUCADORES

A Câmara Municipal de Oeiras realizou esta quinta-feira, dia 8 de setembro, a tradicional cerimónia de Receção aos Docentes de Oeiras, evento anual que marca o início do novo ano letivo, e que dá as boas-vindas a todos aqueles que trabalham nas escolas do concelho.

Ao Olhar Oeiras, o vereador com o pelouro da Educação, Pedro Patacho, referiu que esta iniciativa é uma maneira que a Câmara Municipal de Oeiras tem de homenagear os educadores e os professores”, reconhecendo “a importância e a relevância do seu trabalho na nossa comunidade”, ressalvando que o evento também serve para mostrar a estes docentes “que a autarquia está do seu lado e também do lado das escolas, dos seus projetos educativos, os quais podem contar com o nosso apoio”.

Neste sentido, o autarca destacou as ofertas da autarquia para os docentes, entre as quais um “programa de formação avançada, com bolsas de mestrado e de doutoramento, para investirem no seu desenvolvimento profissional”, mas também “um programa de inovação pedagógica em sala de aula, que já conta com 300 professores inscritos e ativos, e que lhes dá acesso a recursos e material didático para se desenvolverem profissionalmente nas suas escolas”, e ainda “um programa de residências para professores deslocados”, que para já, apenas inclui duas residências, com capacidade para cinco professores.

No entanto, Pedro Patacho avançou ainda que é intenção da autarquia “aumentar esta oferta”, que “é uma oportunidade para ajudar os professores que estão deslocados”. Para tal, “estão em diversas fases de desenvolvimento uma série de novas residências dispersas pelo concelho, que no seu conjunto representam um aumento de capacidade à volta de 30 quartos”, acrescentou o vereador, que espera que no próximo ano letivo, a oferta esteja “bastante acima destas cinco vagas que temos disponibilizado de há dois anos para cá”.

Atualmente, de acordo com o mesmo, existem “aproximadamente 1800 professores” a lecionar no concelho de Oeiras, dos quais estiveram presentes na cerimónia de recepção “perto de 800” docentes.  Para o vereador, um dos grandes objetivos da autarquia oeirense é contribuir para o sucesso escolar de quase 20 mil alunos em todo o concelho, algo que só é possível “com o trabalho dos professores”, e para tal, a Câmara Municipal de Oeiras deve fazer com que estes docentes se “sintam bem, motivados, valorizados e reconhecidos”.

Esta iniciativa contou ainda com um momento musical, com a atuação da Orquestra GeraJazz, com alunos da Escola Básica Professor Noronha Feio, que, segundo o vereador, parabenizando os músicos, destacou o início deste projeto, “em plena pandemia, com todas as restrições, dificuldades e os obstáculos a poderem estar juntos, a exercitar os seus instrumentos”; e ainda um cocktail, que promoveu o convívio entre os docentes.





Pedro Patacho, em substituição do presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, que não pôde estar presente na cerimónia por estar em viagem, falou ainda aos docentes, começando a sua intervenção a desejar-lhe um bom ano letivo de 2022/2023, que será, em dois anos, o primeiro “sem máscaras e, até ver, sem pandemia”. O autarca espera que este “seja um ano pleno de realizações e sucessos para vós e para os vossos alunos”, relembrando que esta cerimónia de receção “é um reconhecimento e uma homenagem aos educadores de infância e aos professores da educação básica e secundária do nosso concelho”, devido ao “trabalho e dedicação que emprestam à sua atividade e à forma como marcam a vida dos nossos alunos”.

Na opinião do autarca, “a vida de professor nunca foi fácil”, sendo que nos dias de hoje, acaba por ser mais exigente devido às “pressões do Ministério, às orientações da direção dos Agrupamentos, às famílias, e ainda de um conjunto de forças que, por vezes, quase que empurram os professores para fora daquilo que devia ser a sua principal preocupação, que é o bem-estar dos alunos e o seu progresso”.

Neste sentido, o vereador salientou que a autarquia de Oeiras “está sempre de portas abertas para as propostas dos Agrupamentos para o desenvolvimento dos projetos educativos”, convidando todos os docentes a partilharem ideias e ainda a “aproveitar os recursos e as oportunidades” desenvolvidas pela autarquia e que “estão à disposição” dos docentes, que para além das já referidas, incluem também o projeto ‘Mochila Leve’, “que permite ter acesso, não só à formação, mas também a equipamento e a material didático para as vossas escolas e para as vossas salas de aula”; e também o programa ‘Oeiras Educa +’, que disponibiliza “um vasto programa de atividades educativas não formais, e que podem utilizar com os vossos alunos”.

Recorde-se que este último projeto, reuniu, no ano letivo anterior, cerca de 90 mil participações de alunos e crianças de todos os níveis de ensino. Ainda no mesmo discurso, Pedro Patacho reforçou o compromisso de, juntamente com os docentes, “fazer avançar Oeiras e ajuda a progredir este território e a população que aqui reside”, levando a que não existam retenções neste concelho e ter “todos os nossos alunos na rota do sucesso escolar”, adiantando ainda que, em 2019/2020, “a taxa de retenções, em todo o concelho, foi abaixo dos 7,5%”, valor que poderia ter melhorado se não fossem as questões relacionadas com a pandemia, que transformou “completamente os contextos de ensino e durante dois anos, criou enormíssimas dificuldades a todos vós e também aos alunos”.

Por este motivo, a taxa de insucesso, no ano letivo de 2021/2022, sofreu um aumento para 9,6%, o que, para o vereador, “é grave e sério”, sendo que “este retrocesso vai-se refletir nos próximos anos e até ao final da escolaridade obrigatória”, pelo que a autarquia, em conjunto com os professores, quer “dar uma resposta” e combater este aumento. Para tal, a Câmara de Oeiras criou um novo instrumento de trabalho, o Observatório Permanente do Sucesso Escolar, que é “uma página online que agrega todos os resultados escolares, de todas as escolas, de todos os agrupamentos e de todos os ciclos de ensino, em todas as disciplinas” numa só plataforma, acessível a toda a comunidade, com um espaço privado, “acessível apenas às escolas e professores”.

Este Observatório, salientou Pedro Patacho, “consegue antecipar, com recurso a modelos matemáticos, o risco de insucesso escolar, fazendo com que os professores possam atuar preventivamente e não de forma remediadora do insucesso quando ele já se verificou e já se tornou uma realidade”. Esta plataforma foi apresentada publicamente na manhã desta sexta-feira, dia 9 de setembro, aos docentes e diretores dos Agrupamentos, no auditório da Escola Secundária Sebastião e Silva.

 

Quer comentar a notícia que leu?