LISBOA DEIXA DE ESTAR EM RISCO ELEVADO

0

A pandemia melhorou em 165 concelhos. Lisboa e Porto estão, entre os 16 municípios, que saíram dos piores escalões. Neste momento, cinco municípios do Alentejo estão no topo dos que têm mais novas infeções per capita.

Dados da Direção Geral de Saúde até 27 de dezembro revelam que os concelhos de Lisboa e do Porto tem uma incidência abaixo dos 480 novos casos de Covid 19 por 100 mil habitantes, o que diminui o nível de risco. Mas estes dados ainda não abrangem o período do Natal, durante o qual houve uma redução significativa de testes de diagnóstico. Portanto, ainda é cedo para se ter a certeza se as medidas restritivas podem ser aliviadas.

Os dados atualizados esta segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde mostram que há um total de 100 municípios nos dois níveis de risco mais alto. Contudo, esta informação, divulgada uma vez por semana, serve apenas para atualizar a situação epidemiológica a nível local, não alterando nenhuma das regras atualmente em vigor no país. As medidas que venham a ser tomadas nas próximas semanas pelo Governo irão ter em conta dados mais atualizados.

Os 25 concelhos com nível de transmissão mais elevada, por onde começou ontem a vacinação dos utentes dos lares, estão distribuídos pelas regiões Norte, Centro e Alentejo. Em particular, o caso de Mação, no distrito de Santarém, onde a vacinação nos lares arrancou esta segunda-feira, é o único que evoluiu de um nível de risco moderado para um risco extremamente elevado em pouco mais de uma semana, saltando de 112 para 973 novos casos por 100 mil habitantes.

É na região do Alentejo que estão as cinco piores situações do país: além de Mourão e Mora, conta-se também Vidigueira, Nisa e Viana do Alentejo. A pequena dimensão destes municípios também significa que, em termos absolutos, o número de infetados até pode ser baixo – mas, por serem populações tão reduzidas, acabam por ter um efeito maior em termos de incidência.

Entre os 25 concelhos, a pior situação está em Mourão, no distrito de Évora, com 3388 novos casos por 100 mil habitantes, sendo o único município no país que neste momento tem uma incidência acima de 3 mil novas infeções. A seguir está Mora, no mesmo distrito, com 2682 novos casos por 100 mil habitantes em duas semanas.




Lisboa com 442 casos

Segundo os dados, atualizados todas as segundas-feiras no boletim da DGS, existem 75 concelhos num nível de risco muito elevado de transmissão por terem entre 480 e 960 novos casos por 100 mil habitantes. Lisboa (442) e Porto (470) surgem com uma incidência já abaixo das 480 novas infeções, ou seja, num nível de risco elevado.

Contudo, isso ainda não significa que as duas cidades deixem de ter em vigor as restrições atualmente em vigor. Quando o Governo tomar as próximas decisões, nomeadamente a atualização da lista dos concelhos alvo de maiores restrições, terá em conta dados mais atualizados.

É nas regiões do Centro e do Alentejo que estão os concelhos que deram os maiores saltos em termos de incidência. Tábua, Vila Nova de Poiares ou Celorico da Beira, no Centro, além de Sousel, Alandroal, Estremoz e Aviz, no Alentejo, passaram de situações de risco moderado ou elevado para uma incidência que os coloca nos dois patamares mais elevados.

Segundo estes dados, há 85 concelhos em nível moderado (com menos de 240 novos casos por 100 mil habitantes) e 123 com risco elevado (entre 240 e 480 novos casos). Alcoutim (no distrito de Faro), Arronches (Portalegre) e Barrancos (Beja), além de outros seis municípios nos Açores, não registaram nenhum novo caso entre os dias 14 e 27 de dezembro.

Esta atualização de dados da DGS é feita uma vez por semana e visa fazer um balanço da situação epidemiológica.

Quer comentar a notícia que leu?