MINICLIP EXPANDE-SE EM PORTUGAL COM NOVAS INSTALAÇÕES NA CIDADE DO CONHECIMENTO, EM OEIRAS

Líder mundial em jogos digitais, a Miniclip anunciou a expansão das suas operações globais com a inauguração de novas instalações em Portugal, no Taguspark – Cidade do Conhecimento. Resultado de um projeto chave-na-mão do Taguspark, este novo edifício da Miniclip, segundo afiançou Francisco Gonçalves, vice-presidente da Câmara de Oeiras, «veio criar riqueza e emprego criativo no concelho».

A Miniclip, a operar em Portugal desde 2010, deu agora mais um passo no seu crescimento em Portugal, com a inauguração, quarta-feira, do seu novo edifício no Taguspark, em Oeiras. Francisco Rocha Gonçalves, vice-presidente da Câmara Municipal de Oeiras, congratulou-se com o facto de «mais uma empresa tecnológica» se sediar no concelho, criando riqueza e emprego criativo, apostando em jovens altamente qualificados.

Aliás, para o autarca, «os países ricos são aqueles» que apostam na criatividade e na formação. Na perspetiva de Francisco Gonçalves, «a maior riqueza de um país é a força do cérebro e a nossa criatividade. E, é isso, que a Miniclip, Oeiras e o Taguspark têm».

De facto, com o foco na contratação de talentos altamente qualificados, a multinacional duplicou o número de colaboradores no nosso país nos últimos três anos. Estas novas instalações possibilitam uma expansão ainda maior para os próximos anos. O novo edifício tem capacidade para cerca de 350 Miniclippers, com o projeto de arquitetura a cargo da Openbook, gestão de projeto da Alphalink e empreitada pela DST.

Por estas razões, o vice-presidente da Câmara de Oeiras fez questão de salientar que o Taguspark foi «criado nos anos 90 para criar riqueza, partindo da criatividade», explorando «o melhor que nós temos», a criatividade e o conhecimento.

Citando uma frase que está nas escolas primárias dos EUA: “O que não fizeres por ti, ninguém fará”, Francisco Gonçalves sublinhou que «o poder de exploração das nossas capacidades, tem tido reflexos nas políticas públicas que o município tem levado a cabo, criando as condições para que as nossas crianças explorem ao máximo as suas capacidades, sejam elas pobres ou ricas».


Do ponto de vista do autarca, o Taguspark «têm vindo a transformar-se numa alavanca de conhecimento e vive para servir as empresas e as pessoas» e, porque «só temos futuro se criarmos riqueza», a instalação de uma empresa como a Miniclip, cujo edifício foi construído em plena pandemia, vai permitir ao concelho continuar a criar riqueza e, ao mesmo tempo, contribuir para a coesão social.

A mesma opinião é, de certo modo, partilhada pelo presidente do Conselho de Administração do Taguspark, António Saraiva, quando salienta que, «a inauguração deste edifício da Miniclip, nos tempos desafiantes em que nos encontramos, é extremamente gratificante», porque é salutar ver «realidades empresariais dinâmicas, que as vão rasgando, fazendo acontecer e enfrentando os desafios que se adivinham».

Para António Saraiva, «Oeiras é um polo de desenvolvimento regional, de que o Taguspark se orgulha de fazer parte», lembrando que, diariamente, «vamos construindo esta cidade do conhecimento», na construção «do futuro de todos nós».

Local de trabalho de excelência

As novas instalações da Miniclip no Taguspark são um dos raros edifícios em Portugal a alcançar os certificados WELL e LEED, promovendo um local de trabalho de excelência. O edifício vai funcionar com eletricidade 100% proveniente de fontes sustentáveis e vai dispor de pontos de água filtrada disponíveis a cada 30 metros. Para além disso, as instalações incluem também um ginásio, um estúdio de bem-estar, uma sala de massagens e, brevemente, irão dispor de uma horta urbana.

Para Marius Manolache, Chief Operating Office da Miniclip: «Na nossa rota de expansão global, temos o prazer de anunciar a inauguração das nossas novas instalações no Taguspark. A Miniclip tem vindo a realizar um investimento significativo na indústria de jogos em Portugal desde a instalação das suas operações em 2010, tendo praticamente duplicado a sua equipa. Estas novas instalações demonstram o crescimento contínuo e o compromisso em manter o investimento nesta geografia. Estamos ansiosos para acolher todos os nossos Miniclippers em Portugal para a sua incrível nova casa».

Já Eduardo Baptista Correia, CEO do Taguspark, considera que, «a inauguração dos novos escritórios no Taguspark oferece à Miniclip instalações de excelência a nível mundial. O edifício com um design extremamente contemporâneo transmite uma imagem de inovação e tecnologia. E é mais uma demonstração do posicionamento de excelência do Taguspark – Cidade do Conhecimento para o acolhimento das mais exigentes empresas tecnológicas mundiais».

Por seu turno, Rodrigo Sampayo, arquiteto e partner da Openbook, defende que «o projeto de arquitetura e design de interiores dos novos escritórios da Miniclip, no Taguspark, foi um projeto extremamente desafiante para a Openbook. Trabalhámos de forma próxima e meticulosa com as equipas da Miniclip e do Taguspark de forma a criar espaços únicos que reflitam as últimas tendências de workplace».

A inauguração das novas instalações no Taguspark é uma demonstração das ambições de desenvolvimento e crescimento da Miniclip em Portugal, salientaram todos os oradores.

Quer comentar a notícia que leu?