O futuro do Museu do Regimento de Sapadores Bombeiros vai voltar, à Assembleia Municipal de Lisboa pelas mãos dos deputados municipais do CDS. Para além deste tema, os deputados municipais vão ainda discutir, amanhã, o regulamento do direito à habitação

José Leitão: Presidente da Assembleia Municipal

A Assembleia Municipal de Lisboa vai discutir, amanhã, a autorização para a empreitada de reabilitação e ampliação da Escola Básica n.º 57 de Telheiras, a aquisição de serviços de telecomunicações para o Município de Lisboa; a empreitada para a Reabilitação dos Pavimentos e Sistema de Drenagem do Parque Eduardo VII; e a autorização para o ano de 2020, no âmbito da renovação do protocolo, celebrado entre o município de Lisboa e a IPSS “O Companheiro”, para colocação de Reclusos em Regime Aberto Virado para o Exterior (RAVE) em várias unidades orgânicas municipais.

Deputado municipal CDS – Diogo Moura

No decorrer desta assembleia magna da autarquia, os deputados municipais do CDS vão apresentar uma recomendação para que a Câmara informe sobre o futuro do Museu do Regimento de Sapadores Bombeiros (RSB).

O líder da bancada municipal do CDS Diogo Moura relembra “que desde a extinção do museu instalado no quartel do Colombo em 2015, as peças têm estado guardadas num quartel e as viaturas históricas num armazém junto ao rio, sem as devidas condições de preservação do espólio”.

O CDS apresenta ainda, na mesma sessão, uma moção ao Governo para que dote os estabelecimentos de ensino e serviços públicos de Lisboa de desfibrilhadores automáticos externos, garantindo intervenção imediata em caso de paragem cardiorespiratória.

Quer comentar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.