OBRIGADO LOURDES NORBERTO…

0

A atriz Lourdes Norberto foi homenageada. No dia do seu aniversário, foi surpreendida com uma festa organizada pela Câmara de Oeiras no auditório com o seu nome, em Linda-a-Velha.A atriz Lourdes Norberto fez, no dia 28 de janeiro, 85 anos. E, por isso, a Câmara de Oeiras, família, atores e amigos decidiram organizar uma festa surpresa de «homenagem a uma das nossas maiores e melhores atrizes» que, nas palavras do presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, é «uma grande alma do teatro, uma mulher que acrescentou vida à vida cultural deste país».

Para a ministra da Cultura, Graça Fonseca, Lourdes Norberto «representa muita para a cultura portuguesa», tendo contribuído «para mudar a vida de muitas pessoas, através das inúmeras personagens que criou ao longo da sua carreira».

Tanto para Graça Fonseca como para Isaltino Morais, ambos coniventes na preparação desta festa-surpresa, a atriz «é uma personalidade incontornável da arte de fazer bom teatro em Portugal».

Aliás a ministra da Cultura, após ter defendido que as homenagens devem ser feitas em vida, salientou que «o papel do Estado é reconhecer o trabalho de alguém que deu tantas décadas ao teatro», deixando «um obrigado pelo talento de ter transformado o teatro no nosso país.»

O Auditório Municipal Lourdes Norberto, em Linda-a-Velha, foi pequeno para acolher os amigos, atores e admiradores da atriz que se quiseram associar a esta homenagem que contou com declamação de poemas, um ato d’ Os Maias, um concerto da fadista Kátia Guerreiro e a inauguração de uma peça escultórica, alusiva à sua atividade profissional, da autoria de Aida Sousa Dias.

Na perspetiva de Isaltino Morais, «Lourdes Norberto é uma artista da velha guarda» que «nunca abdicou do amor, de se apaixonar, de ser mãe numa altura em que os apoios não existiam», desafiando «as regras da sociedade fechada em que se vivia» e conseguindo ser «sempre intensa e inspiradora».


Para a atriz, esta homenagem «é também uma festa do teatro e da cultura», confessando «sentir-se muito feliz», lembrou que «fez dezenas e dezenas de peças». Agora, após um interregno de 4 anos, prepara-se para voltar aos ecrãs da televisão com a telenovela «Amar Demais», que deverá estrear em julho.

Com alguma nostalgia, Lourdes Norberto, «que viveu muito durante estes 85 anos», recorda que a sua última aparição foi na telenovela «A Impostora», em 2016. A artista confidenciava a alguns jornalistas que «afinal já desconfiava que ia ser homenageada, mas não quis desiludir ninguém» e, por isso, como grande senhora do teatro nacional, decidiu fingir surpresa. Só não «enganou» a ministra da Cultura e o presidente da Câmara que «já sabiam que ela sabia».

Filipe la Féria, por seu turno, historiou o percurso profissional da atriz, salientando que ela se iniciou precocemente no teatro. «Aos 6 anos leu poemas na Rádio Renascença e com 9 representou o seu primeiro papel como ‘Rosicler’ numa adaptação para o teatro de Os Maias, pela companhia Rey Colaço e Robles Monteiro», salientou.

«A Lourdes Norberto era uma mulher linda. Era a nossa Marilyn. Uma atriz talentosíssima. Era genial a fazer de Marilyn e de Amália. Aliás, a frase associada à Amália Rodrigues ‘Não me lembro’, não foi a Amália que disse, mas sim a Lourdes que, um dia, estávamos no ensaio e ela vira-se para mim e diz: ‘Não me lembro, não me lembro’. E foi assim que colocámos a Amália a dizer algo que, na verdade, não disse», recordou o conhecido homem do teatro.

Filipe la Féria sublinhou, ainda, que a atriz, para além do teatro, participou em filmes, novelas e musicais, dando corpo a mais 150 personagens.

À meia-noite, Lourdes Norberto foi surpreendida com a entrada no palco do neto com um bolo de aniversário e «cantaram-se os Parabéns a Você», tendo-lhe sido entregue, por Isaltino Morais, a sua Biografia editada pelo Município de Oeiras, com texto de Carla Rocha e design de Susana Ferreira.