ODIVELAS EM CAMPANHA CONTRA A VIOLÊNCIA NO NAMORO

No Dia dos Namorados, as autoridades alertam para os comportamentos abusivos

No Dia dos Namorados, as autoridades alertam para os comportamentos abusivos. Em 2022, PSP e GNR registaram mais de 3.500 queixas de violência no namoro. Preocupada com a situação e no âmbito da campanha municipal contra a violência no namoro, a Câmara Municipal de Odivelas promoveu nas escolas do concelho ações de sensibilização para a prevenção deste problema.

No Dia dos Namorados, que se assinalou esta terça-feira, 14 de fevereiro, a ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, e o presidente da Câmara de Odivelas, Hugo Martins, participaram numa conferência na Escola Secundária da Ramada. Deste modo, a sessão, destinada aos alunos do 8º até ao 12º ano, abordou os problemas de violência no namoro, com exemplos e formas de proteção e defesa contra estes atos.

A ministra explicou que a violência doméstica está interligada à violência no namoro. “Em alguns casos a violência perpetuada a uma pessoa pode determinar como vai ser em adulto. Uma violência praticada na infância ou na adolescência é uma violência exponenciada na fase adulta”. Neste sentido, considera, “não se deve desligar a violência no namoro daquilo que é a violência doméstica”. Ao mesmo tempo, esta conferência está integrada na disciplina de “Educação para a Cidadania”.

Desta forma, Ana Catarina Mendes “conversou” com os alunos da Escola Secundária da Ramada. Neste sentido, partilhou o que é o conceito de liberdade no namoro e como os mais jovens devem aprender a aceitar outros pontos de vista, compreender e respeitar as diferenças. Acima de tudo, para a Ministra, “o poder das palavras e da argumentação é a melhor forma que temos para lutar contra a violência”.

Despertar consciências

Através destas sessões e dos debates, Ana Catarina Mendes espera que esta ação “sirva para despertar consciências, para que não se calem e para que se combata toda e qualquer tipo de violência”.

Por seu turno, a Secretária de Estado da Igualdade e Migrações, Isabel Almeida Rodrigues, acredita que uma das formas para combater e reduzir os níveis e incidência de agressões de violência doméstica é começar a trabalhar, desde cedo, com os mais jovens. Deste modo, considera que “a violência no namoro está hoje demonstrada que é uma antecâmara da violência doméstica”.

Isabel Almeida Rodrigues deixou uma mensagem aos jovens e leitores do jornal Olhar Odivelas.  “É realmente importante denunciar e que essa denúncia deve ser feita o mais cedo possível, de modo a evitar o escalar da violência”. Ao mesmo tempo, acredita que os jovens “conseguirão consolidar esta transformação em curso, mas que ainda vai muito devagar”.

Por sua, o Presidente da Câmara Municipal de Odivelas fez questão de realçar que os jovens são determinantes. Ou seja, “para conseguirmos evoluir e terminar com a violência, não só no namoro, mas em todas as outras situações que também existem”.

Escolas são importantes para sensiblizar para o tema

Deste modo, Hugo Martins explicou que para combater este problema é fundamental começar pelas escolas e falar com os alunos. Neste sentido, considera que a escola “é um lugar de aprendizagem, de transformação e de evolução e onde podemos adquirir competências”.

Alguns dos temas abordados foram a dependência emocional, violência sexual, física e psicológica. Ao mesmo tempo, falou-se ainda da partilha de fotografias de nudez sem consentimento, respeito, liberdade e o impacto das redes sociais na violência no namoro.





Quer comentar a notícia que leu?