ODIVELAS JUNTA-SE A MÊS CONTRA MAUS TRATOS INFANTIS

Abril é o mês da prevenção dos maus-tratos a crianças e jovens, tendo como símbolo o laço azul colocado em vários locais emblemáticos municipais, com o objetivo de sensibilizar para os maus-tratos na infância e na adolescência. Associando-se a esta efeméride, a CPCJ de Odivelas, além de desenvolver um conjunto de atividades, vai promover uma caminhada contra os maus tratos.

Iniciou-se no dia 1 de abril, o Mês da Prevenção dos Maus Tratos na Infância e Juventude, uma iniciativa que tem sido ao longo dos últimos anos, desenvolvida pelas várias CPCJ (Comissão de Proteção de Crianças e Jovens) a nível nacional em parceria com as diversas forças vivas da comunidade.

Associando-se a esta efeméride, a CPCJ de Odivelas vai desenvolver durante o mês um conjunto de atividades, que pretendem divulgar a importância da prevenção, propondo que todas as forças vivas da comunidade, possam iluminar as suas instalações, janelas exteriores, montras, etc., com uma luz azul com o objetivo de divulgar o mês de abril como mês de Prevenção dos Maus Tratos na Infância e Juventude.

Assim, esta entidade desafia todas as Escolas e IPSS do Concelho para que façam laços azuis, humanos, ou outros, fotografem e enviem, por e-mail, para a CPCJO com vista a ser divulgado na página do Facebook.

Para encerrar o Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância e Juventude, no próximo dia 30 de Abril, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Odivelas, vai promover uma caminhada contra os maus tratos sob o lema “Traz uma t-shirt azul e junta-te a nós”.

À semelhança do que já aconteceu na primeira caminhada, a CPCJ espera a participação de um número alargado de pessoas da comunidade, o percurso terá início às 10h no exterior do Pavilhão Multiusos de Odivelas e terminará no Jardim da Música, com a execução de um laço azul humano. Terá cerca de 1 Km, pelo que facilmente será concretizado por qualquer pessoa.





A Campanha do Laço Azul (Blue Ribbon) iniciou-se em 1989, na Virgínia, E.U.A. quando uma avó, Bonnie Finney, amarrou uma fita azul à antena do seu carro «para fazer com que as pessoas se questionassem».

A história que Bonnie Finney contou aos elementos da comunidade que se revelaram “curiosos” foi trágica e sobre os maus-tratos à sua neta, os quais já tinham morto outro neto de forma brutal por espancamento.

Apesar do azul ser uma cor bonita, Bonnie Finney não queria esquecer os corpos batidos e cheios de nódoas negras dos seus dois netos. O azul, que simboliza a cor das lesões, servir-lhe-ia como um lembrete constante para a sua luta na proteção das crianças contra os maus-tratos.

Esta campanha, que começou como uma homenagem desta avó ao neto, expandiu-se e, atualmente, muitos países usam as fitas azuis, durante o mês de abril, em memória daqueles que morreram como resultado de abuso infantil e como forma de apoiar as famílias e fortalecer as comunidades nos esforços necessários para prevenir o abuso infantil e a negligência.

A história de Bonnie Finney demonstra-nos como o efeito da preocupação de um único cidadão pode ter no despertar das consciências do público, em geral, relativamente aos maus-tratos contra as crianças, na sua prevenção e na promoção e proteção dos seus direitos.

Bonnie Finney fez com que um pouco por todo o mundo, tenha sido designado o mês de abril, como o mês dedicado à Prevenção dos Maus-Tratos Infligidos a Crianças e Jovens.

PROGRAMA DIGITAL /PDF

Quer comentar a notícia que leu?