OEIRAS PREPARA VIDA PÓS COVID-19

0

Com os olhos postos no futuro e a pensar nos pós Covid-19, a Câmara de Oeiras anunciou a construção do quartel dos Bombeiros, requalificar a Quinta da Politeira, aderiu à Rede dos Municípios Amigos das Famílias e deu subsídios às coletividades.Numa demonstração clara de que «existe vida» para além do Covid-19, a Câmara de Oeiras, que tem desenvolvido várias ações para diminuir os riscos de contágio da pandemia, prossegue a sua atividade autárquica e decidiu que os bombeiros voluntários de Oeiras vão ter um novo quartel, atribuindo para isso uma verba de cerca de 5 milhões de euros.
De facto, o município aprovou a abertura do procedimento na modalidade de concurso público para a construção do novo quartel dos Bombeiros Voluntários de Oeiras, em substituição das atuais instalações, localizadas no Centro Histórico de Oeiras, por um novo quartel, e que ficará localizado em Cacilhas de Oeiras, na antiga Estrada de Oeiras – atual Avenida dos Bombeiros Voluntários de Oeiras – numa parcela de terreno do domínio privado do Município, o qual obteve parecer favorável junto da APA – Agência Portuguesa do Ambiente. O prazo de execução é de 548 dias.
Este investimento municipal, que tem por preço base do concurso de €4.834.000,00 (acrescido do IVA à taxa legal em vigor), insere-se no âmbito da medida prioritária da Câmara Municipal de substituição/modernização das infraestruturas de apoio à população.
A substituição do antigo quartel é de crucial importância, tanto para a operacionalidade daquela corporação, como para a dinamização do Centro Histórico de Oeiras.
Um milhão e meio para a Quinta da Politeira
O Município de Oeiras também decidiu investir cerca de 1,5 milhões de euros na requalificação do espaço público do Parque Urbano da Quinta da Politeira, em Barcarena, uma obra que deverá ter a duração de um ano, e que vai na linha estratégica do Novo Ciclo de Desenvolvimento para conforto urbano.
Esta intervenção visa promover uma melhor acessibilidade de todos, dentro e para fora do Bairro, questões centrais para os moradores, bem como criar espaços de convívio e lazer ao ar livre e um espaço onde se promove a atividade física para todas as faixas etárias, por forma a contrariar a atual falta de atividade física promovendo-se a vida saudável dos moradores.
Serão reabilitados os passadiços, existentes, que se encontram em muito mau estado de conservação por passadiços de madeira resistente e antiderrapante, prevê-se a consolidação de caminhos que os moradores foram definindo com prioritários assim como a colocação de corrimãos como meio de segurança.
Familiarmente responsável
Por outro lado, o município aderiu à Rede Europeia de Municípios das Famílias Responsáveis, a convite do Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis e da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas.
Este convite surge pelo facto de o Observatório distinguir Oeiras como Autarquia Familiarmente Responsável, dado que «através da sua política de apoio às famílias de munícipes e de funcionários se destaca pelas boas práticas adotadas», salienta um comunicado difundido pela edilidade presidida por Isaltino Morais.
Recorde-se que, o Município de Oeiras tem desenvolvido ao longo dos anos políticas locais que impulsionam a qualidade de vida das Famílias que residem no concelho. Ao integrar a Rede, a autarquia «tem a oportunidade de partilhar informação sobre as melhores práticas em matéria de política de família a nível europeu».
Com esta adesão, Oeiras passa a constar da base de dados da rede europeia, a ter acesso a uma base de dados exclusiva de boas práticas a nível europeu, a poder publicar informação sobre a autarquia no website da rede europeia e a participar nas reuniões, seminários, workshops e convenções europeias. Além do mais, o Município passa a integrar o movimento a favor de uma Europa mais amiga da família e a poder utilizar o logotipo da Rede Europeia, adianta a nota de imprensa.
Apoio a coletividades
Entretanto, o Município de Oeiras aprovou a atribuição de comparticipação financeira às coletividades do concelho, em 2020, num montante global 887.135 euros, para desenvolvimento da atividade desportiva regular, nomeadamente no que respeita a despesas com inscrições, enquadramento técnico, deslocações, material técnico e instalações. Com esta medida, Oeiras está, de certo modo, a dar sinais positivos de esperança de conseguirmos ultrapassar este período negro da história mundial.
Com este apoio, a edilidade oeirense salienta o relevante papel das coletividades desportivas na prática de atividade física e desporto no concelho, «já que que as mesmas são uma das bases a partir da qual todo o desenvolvimento desportivo se constrói, da prática informal à alta competição, mas com um relevante papel destas instituições na promoção da integração e coesão social das comunidades onde se inserem».
Assim, a autarquia, no âmbito da prossecução das suas políticas de desenvolvimento desportivo para o concelho, que «têm como fim último contribuir para a qualidade de vida dos oeirenses através do estímulo à prática de atividade física e desportiva, como veículo de promoção da saúde, mas também como elemento de integração, coesão social e educação através dos valores que lhe são inerentes, reconhece inequivocamente como de interesse municipal o trabalho realizado pelas coletividades desportivas».
O montante atribuído pela autarquia às coletividades visa comparticipar financeiramente os encargos decorrentes da atividade desportiva regular das coletividades desportivas inseridas no concelho de Oeiras, cuja atividade se considera de inquestionável interesse municipal, no âmbito do Regulamento de Apoio ao Associativismo Desportivo».