Oeiras quer ter «os melhores alunos, os melhores professores e as melhores escolas do país». Esta ambição oeirense foi expressa por Isaltino Morais, no decorrer da receção aos professores do concelho e também durante o I Encontro de Educação de Oeiras.

 O Município de Oeiras realizou hoje, 5 de setembro, a recepção aos professores do concelho, na Piscina Oceânica. Durante a cerimónia, presidida por Isaltino Morais, presidente da Câmara Municipal, foi reforçado o desejo do executivo municipal de ter os melhores professores e alunos do país. Aliás, esta aspiração de Oeiras esteve sempre patente no decorrer do I Encontro de Educação em Oeiras que, durante dois dias, reuniu na Escola Secundária Sebastião e Silva os professores do concelho.

Isaltino Morais fez questão de salientar que a recepção aos professores, além de «promover o convívio entre os docentes e de desejar boa sorte aos que agora iniciam o ano letivo 2019/2020», tem como principal objetivo «contribuir para criar uma cumplicidade solidária entre a autarquia e os professores e educadores, que trabalham todos os dias nas escolas do concelho».

Ontem, durante a cerimónia do I Encontro de Educação de Oeiras, Isaltino Morais, que se encontrava acompanhado pelo secretário de Estado da Educação, João Costa , defendeu uma «maior cultura de proximidade entre a edilidade e a comunidade escolar».

Este primeiro encontro – como realça o vereador da Educação, Pedro Patacho – reuniu a comunidade educativa local, para com ela debater a Educação no Município: dar visibilidade ao que já acontece nas escolas e criar espaços de partilha, de discussão e de debate sobre o que se está a fazer, sobre o que se pode ou quer fazer e sobre os caminhos alternativos possíveis. Tendo sempre como meta tornar os alunos de Oeiras os melhor preparados do país.

«Mundo em mudança»

O vereador Pedro Patacho, que presidiu hoje à cerimónia de encerramento do I Encontro de Educação de Oeiras, defendeu a necessidade do ensino escolar se adaptar as novas realidades, «dado estarmos a viver uma época de transição». Mas lembra que, no «centro das mudanças tem de estar o professor», peça fundamental em qualquer mudança que se implemente no ensino escolar, visto serem eles que trabalham com os alunos.

No ar deixa a grande interrogação: será possível dizer como será a escola de futuro? A resposta, por enquanto, ainda não é clara. Mas a Câmara de Oeiras com este tipo de ações de partilha de experiências e de práticas, esta – segundo o vereador- a contribuir para que «o concelho tenha os melhores alunos do país» que, explica, não são «forçosamente os que tem as melhores notas, mas sim os mais adaptados».

Uma das grandes metas de Oeiras, afiança Pedro Patacho, é acabar com o insucesso escolar, prevendo que, nos próximos 2/3 anos, esse flagelo já esteja sanado a nível do 1º Ciclo do Ensino Básico.

O vereador Pedro Patacho reafirma que a educação é «a grande prioridade para os próximos anos» e, portanto, se «queremos os melhores alunos neste concelho temos de dar boas condições aos professores”, acrescentou.

Escola Modelo em Queijas

Por seu turno, Maria Paula Rodrigues, diretora municipal do ensino escolar, salientou que este encontro, assim como as conferências trimestrais que se vão realizar, «vão servir para colocar os professores a refletirem sobre a educação de hoje e a do futuro», porque – segundo ela – «estamos centrados na escola do futuro mas ainda não entendemos a escola do presente».

Após referir que, no próximo dia 27, em Queijas, vai ser inaugurada e primeira escola modelo de Oeiras, a EB Narcisa Pereira, Paula Rodrigues fez questão de enumerar as diferentes medidas que estão a ser tomadas pelo município, nomeadamente em obras de reabilitação e de equipamento, para transformar todos os 46 estabelecimentos de ensino do concelho em espaços «agradáveis e confortáveis para alunos, professores e assistentes operacionais de ensino.

Paula Rodrigues adiantou, também, que o município está a investir na formação dos professores e, futuramente, vão ser criadas bolsas de estudo para os professores.No primeiro dia do Encontro de Educação em Oeiras, quarta-feira, o professor António Sampaio da Nóvoa proferiu uma palestra, intitulada: «É possível dizer como será a escola do futuro?, a que se segue».

Ainda durante o dia de ontem foram partilhadas experiências e feito o balanço do projeto municipal de inovação pedagógica na sala de aula designado por Mochila Leve, que arrancou no ano passado no 1ºciclo do Ensino Básico.

Hoje, a conferência debateu a «Escola Moderna? Escola antiga? Ou simplesmente Escola? Realidade? Romantismo? Ou simplesmente demagogia?», com Santana Castilho.

NR: Noticia a desenvolver na edição impressa Olhares de Carnaxide e Queijas | 11 Setembro 2019

Algumas fotos da recepção aos professores na Piscina Oceânica de Oeiras

« 1 de 16 »

 

2 Responses

    • Repórter de serviço

      S. Obrigado. Foi mesmo erro de simpatia. Muito obrigado pelo alerta. Está corrigido. Até breve. Obrigado

      Responder

Quer comentar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.