OEIRAS QUER SER CAPITAL EUROPEIA DA CULTURA

0

Oeiras vai apresentar a sua candidatura a Capital Europeia da Cultura, lembrando que o «envolvimento dos cidadãos, associações e das empresas» é essencial para uma candidatura que se quer inclusiva e participativa.

O Município de Oeiras vai candidatar-se a Capital Europeia da Cultura 2027. A formalização da candidatura foi aprovada pelo Executivo Municipal, por unanimidade, em reunião de Câmara.

A partir da ideia de “Cidade de Oeiras”, a candidatura será um instrumento ao serviço da organização do território, nas suas vertentes humanas e físicas, gerando uma dinâmica cultural de dimensão nacional e internacional, ligando os seus vários núcleos urbanos.

Reabilitação de património cultural, criação de novos centros culturais nas artes visuais e performativas, instalação de núcleos de indústrias criativas, desenvolvimento de unidades museológicas, promoção de projetos nas áreas da literatura, do cinema e audiovisual, criação de programas de articulação entre educação, ciência e cultura, de projetos de promoção da paisagem costeira e do sistema de parques, jardins, circuitos cicláveis e pedonais, promoção de uma estratégia de turismo sustentável e de interações no domínio das novas tecnologias, são parâmetros de trabalho que estarão presentes na atividade a desenvolver pela estrutura de missão da Capital Europeia da Cultura, em estreita ligação com os serviços do município.

Segundo a autarquia, «o envolvimento dos cidadãos, das associações e das empresas do Concelho é elemento essencial de uma candidatura que se quer inclusiva, plural e participada».

Jorge Barreto Xavier, ex-secretário de Estado da Cultura, antigo Diretor-Geral das Artes, líder de organizações culturais e de festivais internacionais, professor universitário e autor, atualmente a desempenhar as funções de diretor Municipal da Educação, Desenvolvimento Social e Cultura da Câmara Municipal de Oeiras, foi designado Comissário da candidatura de Oeiras.


Mostrar e promover as cidades europeias

A Capital Europeia da Cultura é uma iniciativa da União Europeia que tem por objectivo a promoção de uma cidade da Europa, por um período de um ano durante o qual a cidade possui a hipótese de mostrar à Europa sua vida e desenvolvimento cultural, permitindo um melhor conhecimento mútuo entre os cidadãos da União Europeia.

Esta iniciativa começou em 1985 sob iniciativa da ministra grega Melina Mercouri, com o nome de Cidade Europeia da Cultura. Apenas uma cidade era nomeada por ano, sendo a responsabilidade da organização do evento do Estado-membro ao qual pertencia essa cidade e sucediam-se por ordem alfabética dos países.

Em 1990, a o Conselho de Ministros decidiu alargar a iniciativa a outros países da Europa não pertencentes à União Europeia. Esta norma teria início apenas em 1996, ano em que terminava um ciclo completo e era limitada a países que segundo a Comunidade Europeia, respeitassem os princípios da democracia, do pluralismo e do estado de Direito. Segundo as novas regras era sugerido que fosse feita a alternância entre países membros e outros países, assim como se propunha a alternância entre capitais e cidades de província.

Em 25 de maio de 1999, o Conselho de Ministros e o Parlamento Europeu decidiram mudar o nome de Cidade Europeia da Cultura para Capital Europeia da Cultura.

Foto: Arquivo

 

 

Escreva aqui o seu comentário...