PARQUE DOS POETAS “ELEITO” PARA EXPOSIÇÃO WORLD PRESS PHOTO

0

A exposição das fotografias vencedoras da 64.ª edição do World Press Photo pode ser vista, a partir de hoje, na Alameda do Parque dos Poetas, junto ao Anfiteatro Almeida Garrett. A mostra, com o melhor que há do fotojornalismo mundial, vai estar em exibição até 15 de outubro.

A exposição World Press Photo, que recebeu 4.315 fotógrafos de 130 países, com 74.470 imagens inscritas, tendo sido distinguidos 45 fotógrafos de 28 países, foi inaugurada hoje, 15 de setembro, no Parque dos Poetas, em Oeiras. Desta forma, o melhor fotojornalismo do mundo vai estar em exibição em Oeiras até outubro. Aos sábados, existirão workshops de fotografia com fotógrafos reputados

Pela primeira vez num espaço ao ar livre, o Parque dos Poetas, no concelho de Oeiras, volta a receber, através da revista Visão, a digressão internacional do World Press Photo (WPP), numa edição que ficará para a História em território nacional por ser a primeira totalmente realizada ao ar livre.

Desta forma, a partir de hoje e durante um mês, quem cruzar a entrada junto ao Templo da Poesia no Parque dos Poetas, em Oeiras, vai deparar com uma verdadeira galeria a céu aberto. Junto ao Anfiteatro Almeida Garrett, será possível encontrar os trabalhos vencedores das oito categorias da edição deste ano do WPP, que contou com mais de 74 mil imagens a concurso, captadas por mais de quatro mil fotógrafos, oriundos de 130 países, abrangendo temas Contemporâneos, Ambiente, Notícias, Natureza, Retratos, Desporto e “Spot News” , divididos em duas subcategorias, a de Fotografia Única e a de Reportagem. Além das menções honrosas concedidas a trabalhos que não se enquadrem nas secções principais, todos os anos são ainda atribuídos os galardões Fotografia do Ano e Reportagem do Ano, os ex-líbris da competição.

Isaltino Morais, presidente da Câmara Municipal de Oeiras, também presente na inauguração, enalteceu as potencialidades do Parque dos Poetas, «que é dos poetas portugueses, para receber esta exposição de uma arte tão nobre, coo é a fotografia, que é cada vez mais exigente, praticada por profissionais muito perfecionistas».

Segundo o autarca, esta exposição vai divulgar, ainda mais, o Parque dos Poetas, como um espaço de excelência para as pessoas comungarem com a natureza e apreciarem a arte.

Por seu turno Mafalda Anjos, diretora da VISÃO, salientou que «o fotojornalismo faz parte do código genético da revista e esta é a maior e mais prestigiada iniciativa mundial nesta área. É um orgulho poder trazer instantes que captam o mundo em todo o seu esplendor, assombro, interesse e diversidade. E este ano, pela primeira vez, a exposição será ao ar livre, o que permite uma experiência única».

Mafalda Anjos realçou, por outro lado, que este concurso, que há 20 edições «surge» em Portugal, organizado pela revista Visão, o concurso World Press Photo premeia, anualmente, fotografias que dão a conhecer ao público momentos que marcam a atualidade de povos e de sociedades em todo o mundo, e que se repercutem além-fronteiras, com consequências à escala global.

«Num ano marcado pela pandemia Covid-19 e pelos protestos por justiça social em todo o mundo, os vencedores partilharam uma diversidade de interpretações e de perspetivas referentes a essas e a outras questões urgentes, como a crise climática, os direitos das pessoas e os conflitos territoriais», lembrou.

Marika Cukrowski, curadora da digressão internacional, explicou que «o processo do WPP é, acima de tudo, uma luta contra a desinformação que se acentuou desde o início da pandemia; depois de escolhidas pelo júri (presidido, este ano, pela nepalesa NayanTara Gurung Kakshapati), todas as fotografias nomeadas passam por sucessivas verificações para afastar possíveis situações de plágio ou de falta de rigor».

O fotojornalista português Nuno André Ferreira, que trabalha na agência Lusa, foi um dos premiados no concurso World Press Photo 2021com uma imagem que tem como pano de fundo um incêndio, em Oliveira de Frades (Viseu) que se estendeu pelos concelhos vizinhos.

A imagem – segundo explicou no decorrer da inauguração – tem dois planos: um do fogo que se alastra no topo de um monte e, noutro plano, um bebé dentro de um carro, com um olhar curioso face à objetiva do repórter fotográfico, mas alheio ao que se passa do outro lado do vale.

Além da visita à exposição, existirão também workshops com rallies fotográficos práticos com fotógrafos e fotojornalistas de renome. Os workshops serão aos sábados, das 15h30 às 17h30, e o público pode inscrever-se no próprio dia, no Templo da Poesia. Estão já confirmados nesta iniciativa Arlindo Camacho (retratos), Rita Ferro Alvim (fotografia de família), Gonçalo F. Santos (fotografia de lifestyle) e Marques Borga (fotojornalismo)

O júri do concurso selecionou a fotografia de Mads Nissen, “The First Embrace” (“O primeiro abraço”, em tradução livre”), captada no Brasil, em plena pandemia, como a Fotografia do Ano, e “Habibi”, de Antonio Faccilongo, como a História do Ano.

O melhor fotojornalismo do mundo

Criado em 1955 pela organização homónima e sem fins lucrativos, o concurso World Press Photo premeia, anualmente, fotografias que dão a conhecer ao público questões e momentos cruciais e fraturantes, que marcam a atualidade de povos e de sociedades em todo o mundo, e que se repercutem além-fronteiras, com consequências à escala global.

Neste ano, o concurso recebeu 4 315 fotógrafos de 130 países, com 74 470 imagens inscritas. Os vencedores do concurso anual de fotografia World Press Photo são 45 fotógrafos de 28 países: Argentina, Arménia, Austrália, Bangladesh, Bielorrússia, Brasil, Canadá, Dinamarca, França, Grécia, Índia, Indonésia, Itália, Irão, Irlanda, México, Myanmar, Peru, Filipinas, Polónia, Portugal, Rússia, Eslovénia, Espanha, Suécia, Suíça, Holanda, Estados Unidos da América.

Um júri independente formado por 28 profissionais de fotografia, presidido por NayanTara Gurung Kakshapati, selecionou as melhores fotografias e histórias de 2020. Num ano sem precedentes, marcado pela pandemia Covid-19 e pelos protestos por justiça social em todo o mundo, os vencedores partilharam uma diversidade de interpretações e de perspetivas referentes a essas e a outras questões urgentes, como a crise climática, os direitos das pessoas e os conflitos territoriais.

Horários da exposição

As fotografias vencedoras da 64.ª edição do World Press Photo estarão expostas na Alameda do Parque dos Poetas, junto ao Anfiteatro Almeida Garrett, até ao dia 15 de outubro, de segunda-feira a domingo, das 09:00 às 23:00 horas (de 15 a 30 de setembro – horário de verão) e das 10:00 às 20:00 (de 01 a 15 de outubro – horário de inverno), com entrada gratuita.

Quer comentar a notícia que leu?