SONS DO NOVO ÓRGÃO DE TUBOS ENCHERAM IGREJA DE PAÇO DE ARCOS

0

Ontem, na Igreja Paroquial de Paço de Arcos foi dado o concerto inaugural do novo órgão de tubos, «brindado» com um vinho de Carcavelos que, como manda a tradição da Paróquia, foi bebido a partir de um tubo.

«O Prelúdio e Fuga em ré menor» de Johann Bach foi uma das peças musicais interpretadas ontem pelo organista António Duarte, durante o concerto de inauguração do órgão de tubos, oferecido pela Câmara de Oeiras à Paróquia de Paço de Arcos.

Esta peça para piano, caracterizada por ter uma «arquitectura sólida e regular que se desenvolve através de pequenos movimentos e encadeamentos de proximidade», permitiu a Isaltino Morais, presidente da Câmara Municipal de Oeiras, demonstrar a «arquitectura» das relações da autarquia com as diferentes religiões que existem no concelho. «Desde que apresentem projectos viáveis que enriqueçam a comunidade oeirense, a autarquia apoia», salientou.

«A recuperação do património edificado é uma das prioridades da Câmara de Oeiras e temos financiado obras de recuperação do património religioso existente no concelho, em reconhecimento do trabalho social desenvolvido pela igreja na sociedade oeirense», explicou Isaltino Morais, lembrando ainda que, «se não fosse a igreja, durante esta crise sanitária, haveria muita gente a passar fome».

O autarca, que salientou o facto de no concelho de Oeiras existirem três órgãos de tubos, defendeu que «as tradições religiosas da comunidade oeirense fazem parte da sua matriz cultural e, por isso, o município, em reconhecimento desse valioso legado, decidiu oferecer este órgão à Paróquia de Paço de Arcos».

Abençoado pelo Cardeal Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, durante a missa do Senhor dos Navegantes, a reconstrução deste órgão implicou um investimento de 100 mil euros da Câmara de Oeiras, que se associou à Fábrica da Igreja do Senhor Jesus dos Navegantes, «na missão de dignificar as celebrações da comunidade religiosa o concelho e contribuir para o seu enriquecimento cultural», sublinhou o presidente da autarquia.





Do ponto de vista do autarca, este “instrumento musical” , para além de permitir a fruição «publica de um vasto reportório de música para órgão, vai permitir ainda a formação de jovens estudantes de música do concelho, em particular da Escola de Música Nossa Senhora do Cabo em Linda-a-Velha».

Este órgão de tubos, instrumento todo mecânico de tradição Neo-Barroca, da Igreja Paroquial de Paço de Arcos servirá para o acompanhamento litúrgico das celebrações religiosas, enriquecendo assim a oferta de música erudita no concelho.

De referir que em 2019, o Município de Oeiras atribuiu uma comparticipação financeira, no valor de 100 mil euros, à Fábrica da Igreja do Senhor Jesus dos Navegantes de modo a se proceder à aquisição de um órgão de tubos de grandes dimensões. Esta comparticipação serve, igualmente, para a formação de novos músicos e compositores, dando continuidade à presença da Escola de Música de Nossa Senhora do Cabo nas instalações da Paróquia de Paço de Arcos.

Para a inauguração do novo órgão de Paço de Arcos, o organista António Duarte decidiu centrar o concerto em cinco compositores de origem alemã: Scheidmann, Bohm, Walther, Bach e Memdelssohn.

Escreva aqui o seu comentário...