TST REPÕEM CARREIRAS EM ALMADA

0

A Transportes Sul do Tejo (TST) voltou a repor as carreiras que, ontem, tinha eliminado. Após uma reunião com a Área Metropolitana de Lisboa, a TST repôs as carreiras 333, 435 e 160A empresa Transportes Sul do Tejo (TST) já repôs, os serviços das carreiras 333, 435 e 160 que, ontem, segunda-feira, foram «suprimidos unilateralmente», afirma uma nota da Área Metropolitana de Lisboa, emitida após a reunião com a administração da transportadora.

Segundo a AML, «os TST reverteram a decisão inicial da empresa de transportes que suprimia serviços com impacto negativo nos utilizadores dos transportes públicos e na mobilidade da região metropolitana».

«Fizemos valer aquela que é, desde sempre, a nossa prioridade: a defesa intransigente de um serviço público que existe para servir as pessoas, e diria mesmo, para servir cada vez melhor as pessoas», referiu, no final da reunião, o primeiro secretário metropolitano, Carlos Humberto de Carvalho.

A solução para um outro conjunto de alterações que ainda se verificam, e para as quais existem alternativas conjugadas com outros modos de transporte, nomeadamente ferroviário e fluvial, será agendada, para discussão, nos próximos dias. «Está já prevista um conjunto de reuniões entre a Área Metropolitana de Lisboa, a Transportes Sul do Tejo (TST) e os municípios abrangidos por estas alterações, para que, durante o mês de janeiro, paulatinamente, se reavalie o conjunto de serviços que garantam a efetivação de uma rede de transportes articulada, multimodal, que promova uma mobilidade verdadeiramente sustentável», afiança Carlos Humberto de Carvalho.

Recorde-se que a Área Metropolitana de Lisboa (AML), enquanto autoridade de transportes, foi confrontada com diversas supressões de carreiras e alterações de horários, pela empresa Transportes Sul do Tejo (TST), decididas de uma forma unilateral.

Os TST tinham anunciado a supressão das carreiras 101A que fazia o percurso Cacilhas – Cristo Rei, 168 com o percurso Lisboa (Praça Espanha) – Torre Marinha/Depósito de Água (via Amora), 260 que fazia a rota Lisboa (Praça Espanha) – Sesimbra (via Laranjeiro) e ainda a 583 com o percurso Cacilhas – Setúbal (Rápida). Na nota, a TST dá algumas alternativas a estes percursos agora suprimidos.


O comunicado dos TST avançava ainda que as carreiras onde existem reduções de horários são:101, 107, 120, 133, 160, 162, 169, 176, 191, 203, 207, 211, 222, 223, 228, 229, 240, 243, 317, 318, 333, 431, 432, 435, 437, 453, 454 e 565. O comunicado acrescentava também que «a carreira 191 terá também alteração de percurso, passando o seu início / términus para a estação ferroviária de Corroios».

Escreva aqui o seu comentário...