A Câmara Municipal de Lisboa acionou o Plano de Contingência para as Pessoas Sem-Abrigo perante tempo frio, face às previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera que apontam para uma descida acentuada das temperaturas.
Face às previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que apontam para uma descida acentuada das temperaturas nos próximos dias, a Câmara Municipal de Lisboa acionou, hoje, dia 9 janeiro ao fim da tarde, a fase amarela do Plano de Contingência para as Pessoas Sem-Abrigo Perante o Frio.

O Pavilhão Casal Vistoso é o local onde vai funcionar o Dispositivo Integrado de Apoio aos Sem-Abrigo (DIASA), onde vão ser servidas refeições quentes, alimentos e agasalhos. Por outro lado, várias equipas técnicas de rua estarão no terreno a acompanhar a situação, reencaminhando todos os que aceitem ser atendidos no pavilhão.

Além disso, ficarão abertas as estações de Metro de Oriente, Saldanha, Intendente, Rossio e Santa Apolónia durante o período noturno. À semelhança de anos anteriores a activação do plano implica, entre outros procedimentos, a divulgação da existência de 5 Pontos de Concentração, onde irão estar Equipas de Rua a efetuar o encaminhamento dos sem-abrigo para o Pavilhão Desportivo do Casal Vistoso (DIASA): Metro Restauradores (porta da estação de metro frente à antiga Loja do Cidadão); Metro Intendente (porta da estação de metro da Rua Andrade); Metro Saldanha (porta da estação de metro junto ao Edifício Monumental); fachada principal da estação da CP de Stª Apolónia (átrio principal); Gare do Oriente (entrada frente ao C.C. Vasco da Gama); Pavilhão Desportivo do Casal Vistoso.

Evite sair

Neste contexto de tempo frio o Serviço Municipal de Proteção Civil de Lisboa recomenda ainda, à população em geral, para se dar uma atenção especial aos grupos da população de maior risco: Crianças nos primeiros anos de vida e idosos; Doentes crónicos (em especial cardíacos, vasculares, respiratórios, reumáticos, diabéticos e da tiróide) ou acamados; Indivíduos com perturbações de memória, problemas de saúde mental, alcoolismo ou demência; Indivíduos que tomem medicamentos como psicotrópicos ou anti-inflamatórios; Indivíduos com mobilidade ou dificuldades na realização das actividades da vida diária; Indivíduos isolados ou em situação de exclusão social.

A Protecção Civil Municipal aconselha os indivíduos que pertencem aos grupos de maior risco a ficarem em casa ou em locais quentes e a evitarem as actividades físicas intensas que obrigam o coração a um maior esforço que podem provocar um ataque cardíaco. O ar frio não é bom para a circulação sanguínea.

 

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.