A recruta de 149 novos bombeiros e a entrega de 14 novas viaturas foram algumas das novidades anunciadas por Fernando Medina durante a cerimónia pública de distribuição de 850 equipamentos de proteção individual ao Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, a recruta dos novos bombeiros deverá ser “feita no imediato” e juntam-se aos “quase 50 recrutados em outubro passado”.

Quanto às viaturas, o autarca estima que estas sejam entregues durante o primeiro semestre deste ano.

Durante a cerimónia, Fernando Medina lembrou que “este mandato ficará marcado pelo arranque das obras que vão permitir fazer do Quartel Central em Chelas uma das mais modernas instalações de regimentos de sapadores bombeiros de toda a Europa, dotado das capacidades operacionais e de formação”.

Esta medida insere-se numa “política de investimento na reorganização territorial do regimento”. Para além de Chelas, destaque para a abertura recente do quartel na Alta de Lisboa e, “muito em breve”, o novo posto no Martim Moniz, uma instalação moderna que vai servir a baixa de Lisboa”.

Na opinião do presidente da câmara, “o Regimento de Sapadores Bombeiros é um corpo de excelência na proteção e defesa da cidade”. Daí que, nas palavras do autarca, “não transigimos neste reconhecimento e nem hesitamos nas medidas que são necessárias”.

E acrescenta: “tenho bem a consciência que proteger a cidade de Lisboa é a primeira das minhas responsabilidades”.

Porém, Fernando Medina recordo o caminho percorrido até hoje: “não posso esquecer do caminho que percorremos nos últimos anos, com problemas relativamente às chefias, problemas de concursos para fardamentos que se arrastavam e problemas severos nos equipamentos de proteção de incêndio, que estão agora resolvidos”.

Os 850 equipamentos de proteção individual agora entregues são em concreto fatos de combates a incêndios estruturais, relevantes para a segurança e proteção individual dos bombeiros em missões de socorro e de proteção civil, tais como a intervenção em acidentes rodoviários, acidentes com materiais perigosos, captura de animais perigosos, corte de árvores com risco iminente de queda e resgates em geral.

Fernando Medina aproveitou ainda para prestar um agradecimento em nome da cidade ao “regimento que diariamente ajuda a proteger o país com prestígio, honra e orgulho para a cidade de Lisboa”.

E conclui: “todos os dias em que há uma intervenção que é necessária, o que nós vemos é capacidade de resposta, prontidão, profissionalismo e confiança da cidade no seu Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa”.