Só juntos somos mais fortes no combate ao Covid-19. Está é a mensagem que a Câmara de Oeiras e a União de Freguesias de Carnaxide e Queijas estão a passar para mostrar «solidariedade e apoio» às medidas implementadas para minimizar os riscos de contágio.Conforme noticiamos na edição impressa de «Olhares de Carnaxide e Queijas», a ser distribuída ainda esta semana, as atitudes de solidariedade multiplicam-se. Dezenas de pessoas estão a oferecer ajuda a vizinhos idosos ou doentes para a compra de comida ou medicamentos.

Todavia, com parte substancial da população em quarentena, autoisolamento e outras medidas preventivas, Oeiras mostra «que há necessidade de seguir em frente» e, por isso, a Câmara e a Assembleia Municipal aprovaram uma dotação extraordinária de um milhão de euros para aquisição de ventiladores e de material e equipamento médico para o Serviço Nacional de Saúde.

Na União de Freguesias de Carnaxide e Queijas estão a ser criadas condições para «auxiliar as pessoas mais velhas e as mais frágeis», apesar de o executivo ter reduzido os serviços aos mínimos possíveis. Inclusivamente, a Farmácia Expresso já se disponibilizou para fazer a entrega «à porta» de medicamentos e o Centro de Enfermagem de Queijas vai manter-se aberto para «auxiliar» as pessoas.

Neste momento, é animador que exista uma onda de solidariedade e apoio mútuo tão intenso. Esta é também a mensagem que a Irmã Maria João Vieira, responsável da Casa da Betânia, tem «vindo a passar ao longo dos anos», ajudando na integração familiar, social e laboral de pessoas com deficiência intelectual. O novo padre de Carnaxide, Pedro Coutinho, também é um homem de causas e de solidariedade e, por isso, fala da «dimensão social da Paróquia de Carnaxide» e o apoio que concede aos mais carenciados e idosos.

Apesar de não sabermos o dia de amanhã e os efeitos da pandemia em Portugal, a União de Freguesias de Carnaxide e Queijas, numa demonstração de confiança no futuro, «mostra obra feita» e revela que o programa Cidadão Ativo está a ter um papel importante na melhoria dos espaços públicos.

Mesmo não sabendo o que vem a seguir (temos de estar preparados para todos os cenários), as jovens bailarinas do Clube de Carnaxide Cultura e Desporto estão «esperançadas» em poderem participar, em Itália, no All Dance World, porque – como diz o poeta – «a esperança é a última coisa a morrer».

Mas, para que esse anseio das jovens bailarinas se concretize, «só nos resta fazer o que todo o Mundo está a fazer: tomar medidas de precaução e o máximo de cuidado possível», como recomendam as autoridades nacionais e autárquicas.

Descarregue Olhares de Carnaxide e Queijas | março e leia no seu computador, tablet ou telemóvel