CÂMARA DE LOURES MANTEM APOSTA NA REQUALIFICAÇÃO E AMPLIAÇÃO DE ESCOLAS

O Presidente da Câmara Municipal de Loures, Ricardo Leão, inaugurou esta manhã as obras remodelação e ampliação da Escola Básica N.º 3 de Unhos, prometendo que, apesar das incertezas provocadas pela guerra entre a Ucrânia e a Rússia, a educação vai continuar a ser a principal prioridade no concelho.

A Escola Básica n.º 3 de Unhos, na União de Freguesias de Camarate, Unhos e Apelação, sofreu obras profundas de requalificação e, hoje, foi o dia escolhido para a sua inauguração pelo presidente da Câmara Municipal de Loures, Ricardo Leão, que se encontrava acompanhado pela presidente da Assembleia Municipal, Susana Amador, pela vice-presidente da autarquia, Sónia Paixão, e pelo presidente da União de Freguesias, Renato Alves, e que foram recebidos «com poemas» recitados pelos alunos do pré-escolar.

Esta intervenção, que vinha do anterior executivo e concluída pelo atual, implicou a ampliação da cozinha de modo a garantir a valência de confeção local, melhoramento da zona de refeitório, aumento do número de salas de aula e construção de uma nova biblioteca escolar. Tudo isto, tendo como principal objetivo melhorar as condições de funcionamento deste equipamento escolar frequentado por 107 alunos do 1º ciclo, distribuídos por 6 turmas e que dispõe ainda de 1 sala de educação pré-escolar com 20 crianças do logradouro.

Ricardo Leão, que garantiu que apesar dos tempos conturbados que vivemos (guerra Ucrânia/Rússia), a educação vai continuar a ser uma das prioridades do atual executivo, revelou que, neste momento, existem vários projetos «de requalificação do parque escolar público do concelho. Não só para o pré-escolar e do 1º ciclo, mas também para o 2º ciclo e secundário».

«Estamos a iniciar um conjunto de projetos para a requalificação e ampliação num conjunto de escolas dos 1º, 2º e 3º ciclos e secundário», garantiu o autarca, lembrando que «este é um projeto concretizado em tempos conturbados, que estão a provocar aumentos substanciais, na ordem dos 50%, no custo das empreitadas de construção civil».

Reorganização das prioridades





Na perspetiva do edil, que, à semelhança de outros decisores políticos, contava com o PRR (Plano de Recuperação e Resiliência português) para o desenvolvimento económico do concelho, toda a situação que vive na Ucrânia obrigou à reorganização das prioridades. Mas, garantiu, «a educação vai continuar a ser prioridade deste executivo».

Após ter anunciado que vai haver uma reunião com o Governo para debater as transferências de competências para a autarquia na área da educação, Ricardo Leão lembrou que, em 2001, «só existiam dois refeitórios em toda a rede escolar pública do concelho». Por isso, «não podíamos pedir mais sucesso escolar, quando muitas das crianças não tinham uma refeição completa». Nos nossos dias, todas as escolas têm refeitório. «Só podemos exigir se oferecermos as condições», sublinhou.

Do ponto de vista do autarca, «só a cooperação entre as diferentes entidades, nomeadamente Juntas e Uniões de Freguesia, diretores dos Agrupamentos Escolares e Associações de Pais, se pode melhorar as escolas do concelho».

Ricardo Leão, que chamou o vice presidente Associação de Pais do Agrupamento de Escolas do  Catujal Escola Básica N.º 3 de Unhos, para expressar a sua opinião, lembrou que foi, em 2002, altura em que era vereador com o pelouro da Educação, que se começaram a «encontrar soluções para dar respostas aos pais e que se iniciaram as atividades de enriquecimento extracurricular».

Por seu turno, o presidente da União de Freguesias de Camarate, Unhos e Apelação, Renato Alves, congratulou-se com os investimentos que estão a ser realizados pela autarquia, lembrando que existe uma «comunhão de ideias e projetos entre a Câmara e a União de Freguesias».

Renato Alves, que viu reafirmado o compromisso realizado por Ricardo Leão de apoiar a requalificação de todas as escolas da freguesia, adiantou que «a União de Freguesias já aumentou o seu quadro de pessoal para efetuar pequenas obras nos estabelecimentos escolares», revelando: «Neste momento, temos o Walter Silva, vogal do executivo da junta, dedicado exclusivamente a este sector para conseguirmos dar uma resposta imediata a todos os problemas que surjam nas escolas».

Já o presidente do Agrupamento Escolar do Catujal, João Carvalho, que realçou que estas obras implicaram «uma melhoria significativa para os alunos», sublinhando que, para além das melhorias técnicas, «a criação de um telheiro na zona de recreio é uma mais valia importante para as nossas crianças poderem brincar, independentemente das condições climatéricas».

João Carvalho, apesar de ter realçado que toda a escola foi remodelada e ampliada, revelou que existe uma necessidade premente de se criarem mais salas para conseguir dar resposta às necessidades da freguesia. «Em setembro, tínhamos 50 miúdos em lista de espera, aos quais não conseguimos dar resposta» salientou.

 

 

Quer comentar a notícia que leu?