ISSO É QUE ERA BOM SOBE AO PALCO DO AUDITÓRIO RUY DE CARVALHO

Luís Aleluia é a figura principal da peça “Isso é que era bom”, encenada por João de Carvalho, e que vai subir ao palco do Auditório Ruy de Carvalho, em Carnaxide, nos próximos dias 8,9 e 10 de fevereiro.

A Câmara Municipal de Oeiras apresenta a peça de teatro “Isso é que era bom”, de Paulo Mira Coelho, nos dias 8. 9 e 10 de fevereiro, às 21H30, no Auditório Municipal Ruy de Carvalho, em Carnaxide.

“Isso é que era bom” é o retrato de um português típico, onde contrasta o ar de alguém bem posicionado na sociedade, com todo um mundo cru e primário de uma educação virada mais para o ter do que propriamente para o ser. Raul Pinhota Durão é uma anedota viva de um empresário que cresceu mercê do sucesso dos negócios, mas que ficou psicologicamente parado naquele tempo antigo em que brincava com outras crianças num dos bairros problemáticos da capital.

Segundo explica a Câmara de Oeiras, «a escolha do encenador foi criteriosamente pensada, dado o facto do cenário se reduzir a uma casa de banho de luxo, o que implica um espaço limitado de movimentação do personagem», e daí, um «cuidado especial para evitar a queda na monotonia, o que não pode, nem deve prejudicar a serena comicidade do texto a ser representado».

A autarquia justifica, em comunicado, que «o encenador João de Carvalho, trará, pela sua experiência um toque de qualidade que a dificuldade do texto exige. Critério semelhante foi utilizado na escolha do ator, Luís Aleluia, que, por estar permanentemente em cena, e ser, desse modo, o único foco das atenções».

Ambos formam, por certo, uma equipa inesquecível, já testada noutros textos de dificuldade semelhante, o que garante a este projeto, o sucesso que o fará viajar pelos quatro cantos do mundo português.





“Isso é que era bom”  é uma peça criada exclusivamente para ser representada na fase de saída desta pandemia, pela forma como evita mover uma companhia grande nas suas digressões, pela maleabilidade que oferece ao ser uma peça de um personagem só, pelo facto de ser uma comédia com uma linguagem absolutamente acessível a todos os públicos jovens/adultos, e especialmente pela característica assinalada no capítulo anterior, isto é, a de permitir improvisos de toda a ordem, exigindo a interação entre ator e público, com vista ao enriquecimento nesse tu-cá-tu-lá, entre risos e gargalhadas, de um texto que poderá conseguir ser diferente de cada vez que for apresentado em palco.

Sinopse

Raul Pinhota é um prestigiado advogado de lisboa que tem estomago para tudo menos para aguentar o caril de gambas com leite de coco que a mulher lhe serviu ao almoço. E por causa dessa fraqueza fica acidentalmente preso numa casa de banho situada no 15º andar de um edifício de escritórios onde, aquela hora, já não há quem o possa socorrer. Do desespero ao delírio o espetador assiste aos mais hilariantes estados de alma provocados pela situação incómoda e inusitada. Imagine-se na mesma situação e aprenda como sair dela!

Quer comentar a notícia que leu?