LISBOA CAPITAL EUROPEIA DO DESPORTO INVESTE 20 MILHÕES DE EUROS NOS CLUBES

0

Depois da Capital Verde Europeia 2020, Lisboa é desde 14 de abril a Capital Europeia do Desporto 2021, estando anunciado para o fim-de-semana os europeus de judo. Entretanto, a Câmara de Lisboa vai investir 20 milhões de euros numa linha de apoio aos clubes e financiar testes à covid-19 aos atletas.

Lisboa Capital Europeia do Desporto vai contar com uma linha de apoio aos clubes no valor de 20 milhões para que “os clubes possam melhorar a sua prática, promover mais atividades, para que possam melhorar as suas infraestruturas, suprir carências de infraestruturas, suprir carências de equipamentos ou suprir também necessidades de robustecer a sua organização”, anunciou o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, revelando ainda que a autarquia vai financiar os testes à Covid-19 aos atletas da cidade e reforçar, com um milhão de euros, os apoios à prática desportiva regular.

Estas três medidas foram, avançadas por  Fernando Medina na apresentação pública da Lisboa Capital Europeia do Desporto 2021, sob o lema «Inspira», que decorreu no pavilhão Carlos Lopes e que contou ainda com a presença do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, do chefe de missão da Lisboa Capital Europeia do Desporto 2021, o atleta Nuno Delgado, do selecionador Fernando Santos, um dos embaixadores, assim como do secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo.

«Em primeiro lugar nós vamos apoiar para que, de forma gratuita, todos os atletas da cidade de Lisboa, no regresso às suas atividades e à sua competição, possam ter testes gratuitos à Covid-19», especificou o presidente da Câmara de Lisboa, precisando que o município vai estender o acordo que já tem com a Associação Nacional de Farmácias «aos atletas da cidade de Lisboa para que possam ser testados, dado que isso é uma condição para o regresso à atividade federada em alguns casos e é também uma regra de cautela, de promoção da saúde relativamente a atividades em que isso não é obrigatório».

Clubes mais fortes e ativos

A Câmara de Lisboa vai ainda «lançar uma linha de 20 milhões de euros, que se aplicará durante dois anos, para que os clubes possam melhorar a sua prática, promover mais atividades, para que possam melhorar as suas infraestruturas, suprir carências de infraestruturas, suprir carências de equipamentos ou suprir também necessidades de robustecer a sua organização», permitindo, desta forma, que a cidade tenha «clubes mais fortes, mais ativos, com mais capacidade de apoiar a prática desportiva».




O autarca indicou que a proposta será levada a reunião de Câmara «nas próximas semanas», merecendo depois o aval da assembleia municipal, estimando que «o programa se desenvolva durante o ano de 2021 e durante o ano de 2022».

Segundo o autarca, as entidades podem candidatar-se para reforço de uma das quatro dimensões: reforço da atividade, melhoria de infraestruturas, aquisição de equipamentos ou capacitação institucional.

Outra das medidas anunciadas pelo chefe do executivo municipal é o apoio extraordinário, «de cerca de um milhão de euros adicional, para apoio à prática e à atividade regular dos clubes e coletividades durante este ano».

«É um apoio que nós daremos por cima dos apoios que normalmente damos. Porque este ‘para arranca’ que vários clubes têm tido, que o desporto tem tido fruto da pandemia, não tem feito reduzir os custos que os clubes têm», acrescentou.

Próximos das metas europeias…

Por seu turno, Nuno Delgado, o chefe de missão da Lisboa Capital Europeia do Desporto 2021, salientou que esta iniciativa vai «mobilizar todo o tecido desportivo da cidade», e incentivar práticas mais saudáveis. «As metas que queremos atingir são estar cada vez mais próximos da estratégia da comunidade europeia e dos objetivos de sustentabilidade da ONU», adiantou o antigo judoca.

Durante o presente ano, o projeto que torna a capital portuguesa o epicentro do desporto europeu pretende, acima de tudo, «inspirar» os munícipes de Lisboa, os turistas que a visitam e aqueles que trabalham e estudam na cidade. «Um atleta inspira para treinar e inspira para fazer os outros seguirem os seus sonhos», disse o ex-atleta olímpico e chefe de missão deste projeto.

Europeus de judo e taça do mundo do triatlo

Por outro lado, ainda segundo Nuno Delgado, durante o ano 2021, Lisboa irá ser um ponto de referência para o desporto mundial e olímpico, começando já no próximo fim-de-semana com o acolhimento dos europeus de judo e posteriormente a premier league de Karaté, assim como a taça do mundo de triatlo, anunciando ainda que será realizado um congresso internacional do desporto na semana europeia do desporto, bem como uma uma gala, em Dezembro, para entrega das medalhas que possam vir a ser conquistadas nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Sob o lema ‘Lisboa, uma cidade que inspira campeões para a vida’, o projeto foi desenhado em cima de sete áreas estratégicas, como as sete colinas que servem de moldura a Lisboa e os embaixadores de cada um dos eixos são tão distintos quanto as áreas que pretendem abranger: Fernando Santos (educação), Telma Monteiro (transcendência), Hugo Passos (solidariedade), Patrícia Mamona (mobilidade), Manuel Carrageta (saúde e bem-estar), Vihls (cultura) e Guerreiro de Brito (sustentabilidade).

Os primeiros eventos serão o Campeonato da Europa de judo, que se realiza na capital, entre 16 e 18 de abril, e a maior aula de judo do Mundo (18 de abril) que ocorrerá no âmbito do intervalo das finais do campeonato.

A cerimónia começou com o hastear da bandeira da Lisboa Capital Europeia do Desporto no exterior do pavilhão Carlos Lopes e continuou no interior com a fadista Cuca Roseta a cantar a canção oficial da iniciativa.

Quer comentar a notícia que leu?