LISBOA MANTEM E REFORÇA APOIOS SOCIAIS

0

«Os apoios sociais da Câmara Municipal de Lisboa para quem mais precisa são para manter e reforçar», diz vereador Manuel Grilo, do pelouro da Educação e dos Direitos Sociais, garantindo a continuação da distribuição de refeições gratuitas e as respostas às famílias e aos sem-abrigo

Com o novo confinamento e o encerramento das escolas, a Câmara Municipal vai manter e reforçar os apoios sociais para aliviar o esforço das famílias. Quem o afirma é o vereador Manuel Grilo, do pelouro da Educação e dos Direitos Sociais da autarquia lisboeta, salientando que «a pandemia faz sentir um impacto enorme na economia, deixando famílias desprotegidas e por isso o pelouro da Educação e dos Direitos Sociais vai manter e reforçar as respostas que já tem desde o 1.º confinamento: Creches para os trabalhadores essenciais, Fundo de Emergência Social (FES) para famílias e IPSS, as respostas para as pessoas sem abrigo, assim como as milhares de refeições gratuitas para quem mais precisa».

Assim, segundo explica a autarquia, as escolas públicas da cidade, sob responsabilidade da CML, continuarão a produzir refeições para os alunos, do Jardim de Infância ao 12.º ano, dos escalões A e B da Ação Social Escolar e alunos com Necessidades de Saúde Especiais (NSE).  A refeição será completa, em sistema takeaway, por motivos de higiene e segurança no contexto atual, e estará disponível na própria escola, entre as 12h e as 13h30.

Na sequência do encerramento das atividades letivas, os filhos até 12 anos dos funcionários de serviços essenciais das áreas da saúde, higiene urbana, segurança, entre outros, que não poderão exercer a sua atividade em regime de teletrabalho, vão poder aceder a nove escolas de outros tantos agrupamentos escolares de Lisboa. São elas:

  • AE Vergílio Ferreira – EBI S. Vicente de Telheiras
  • AE Gil Vicente – Escola de Sta. Clara
  • AE Marquesa de Alorna – EB Mestre Arnaldo Louro de Almeida
  • AE Patrício Prazeres – EB Patrício Prazeres
  • AE Prof Lindley Cintra – Escola Secundária Lumiar
  • AE Restelo – Escola Secundária Restelo
  • AE Luis de Camões – EB Leão de Arroios
  • AE Nuno Gonçalves – EB Natália Correia
  • AE Piscinas Olivais – EB Paulino Montez

FES-Covid

Por outro lado, o vereador Manuel Grilo lembra que, desde o início da pandemia, «considerou-se que seria essencial ter uma linha de apoio especial para organizações sem fins lucrativos que tenham intervenção social na cidade. Desde a organizações que distribuem cabazes alimentares a associações de moradores, dezenas de organizações da cidade já receberam 12,4 milhões de euros desde Março». Este apoio será mantido e reforçado em 4,3 milhões de euros.





FES -Agregados Familiares

Além deste apoio extraordinário a quem todos os dias apoia quem mais precisa, a Câmara distribuiu um total de 3,3 milhões de euros para as Juntas de Freguesia fazerem face a apoios de emergência social que têm surgido por toda a cidade. Este apoio será mantido e reforçado.

Programa municipal de apoio alimentar

Neste momento, a Câmara está a distribuir 3870 kits-refeição por dia, equivalentes a 2 refeições diárias e um lanche, por toda a cidade. Esta produção cresceu 8% na última semana por receber mais pedidos de ajuda e prevemos que continue a subir. Este apoio prevê um investimento total de 6 milhões de euros pela CML. A produção e distribuição é financiada pela CML, mas é feita em proximidade, por IPSS parceiras e Juntas de Freguesia. Em fevereiro juntar-se-ão também vários restaurantes solidários, que integraram o programa “Lisboa Protege”. O investimento preparado para o apoio à confeção de refeições nos restaurantes é de 3,6 milhões de euros.

Pessoas em situação de sem-abrigo

Ainda em março, o Pelouro dirigido pelo Vereador Manuel Grilo abriu quatro centros de acolhimento de emergência para as pessoas em situação de sem-abrigo. Até agora, passaram quase 800 pessoas por estes centros de acolhimento, muitas das quais foram encaminhadas para soluções de alojamento permanente. Estes recebem em simultâneo até 220 pessoas. São centenas de pessoas que saíram da rua ou evitaram cair na rua depois de terem perdido os seus rendimentos.

Teleassistência Idosos

Reforço do serviço teleassistência Municipal com mais 500 equipamentos através do programa “Lisboa mais Perto”, projeto que pretende reforçar a oferta de teleassistência do município colmatando a lista de espera que existia com a aquisição de 500 novos equipamentos. Estes equipamentos permitem um acompanhamento regular por equipas técnicas, assim como o contacto de emergência facilitado através de um botão. Este programa pressupõe também acompanhamentos domiciliários com sessões de fisioterapia e reabilitação psicomotora, psicologia e realização de tarefas diárias como compras a cerca de 100 idosos já identificados pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e em articulação com os Centros de Saúde da cidade.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here