LISBOA MONTA POSTOS DE ATENDIMENTO PARA ACELERAR VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE

0

A vacina da gripe está a partir deste hoje disponível para mais grupos populacionais. A Câmara de Lisboa e o Ministério da Saúde montaram um dispositivo que garante a vacinação contra a gripe a todos os munícipes idosos que queiram ser vacinados.

Iniciou-se hoje, em Lisboa, a campanha especial de vacinação contra a gripe. Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, esteve em Campo de Ourique, no Cinema Europa, no arranque desta fase da vacinação contra a gripe, que começou com a abertura de vários postos de atendimento na cidade para permitir que a operação decorra de «forma muito mais rápida e seja feita em segurança».

«Montámos um dispositivo pela cidade de Lisboa, que mobilizou todas as juntas de freguesia, as corporações dos bombeiros voluntários, os serviços e equipamentos da Câmara Municipal de Lisboa para que possamos, no prazo de poucas semanas, assegurar a vacinação dos cerca de 165 mil idosos contra a gripe», afirmou o presidente da autarquia, Fernando Medina

Após ter visitado a biblioteca de Campo de Ourique, um dos espaços onde está a decorrer a vacinação, Fernando Medina explicou que esta campanha especial de vacinação da gripe para os cidadãos com 65 ou mais anos e pessoas com doenças crónicas é uma iniciativa organizada pela Câmara, em articulação com o Ministério da Saúde e a Santa Casa da Misericórdia.

Acompanhado pelo presidente da Junta de Campo de Ourique, Pedro Costa, e pelo vereador Carlos Castro, e por Sérgio Cintra, da Santa Casa da Misericórdia, Fernando Medina adiantou: «há vários espaços em todas as freguesias da cidade, alguns espaços em instituições, como a biblioteca ou as piscinas de Campo de Ourique, em algumas juntas de freguesias, até mesmo em unidades móveis que se deslocam aos bairros e que, em caso de necessidade, se deslocam ao domicilio das pessoas».

Fernando Medina salientou que este ano a vacinação contra a gripe é «muito importante para ajudar a combater a pandemia», evitando «confusão de sintomas e até um acumular de problemas clínico». Segundo Fernando Medina, o objetivo da Câmara é «contribuir para acelerar a capacidade de vacinação, que continuará a ocorrer nos centros de saúde, reforçando-a com novos sítios e novos recursos».





Além disso, acrescentou, desta forma consegue-se também «evitar ajuntamentos» nas unidades de saúde, lembrando que em Lisboa vivem cerca de 160 mil pessoas com 65 ou mais anos.

Esta manhã, várias dezenas de pessoas aguardavam em fila no exterior da biblioteca de Campo de Ourique para serem vacinadas, mas, segundo o presidente da Junta de Freguesia, Pedro Tadeu Costa, a operação estava a decorrer com rapidez e o tempo de espera era de cerca de 15 minutos.

A campanha de vacinação do Serviço Nacional de Saúde arrancou em 28 de setembro, com uma primeira fase que incluiu apenas as faixas da população consideradas prioritárias, como residentes em lares de idosos, grávidas e profissionais de saúde e do setor social que prestam cuidados. Na segunda fase, a vacina passa a ser também administrada a outros grupos de risco: pessoas com 65 ou mais anos e pessoas com doenças crónicas.

Vacinas gratuitas

Habitualmente, a campanha de vacinação começa apenas em 15 de outubro, mas este ano arrancou mais cedo devido à pandemia de covid-19. Além das vacinas gratuitas para as pessoas incluídas nos grupos de risco, haverá vacinas à venda nas farmácias que podem ser compradas com receita médica e são comparticipadas.

O Serviço Nacional de Saúde comprou este ano mais de dois milhões de vacinas da gripe. Na primeira fase, estiveram disponíveis 350 mil doses.

A gripe é uma doença contagiosa e que geralmente se cura de forma espontânea. As complicações, quando surgem, ocorrem sobretudo em pessoas com doenças crónicas ou com mais de 65 anos.

Escreva aqui o seu comentário...