A Câmara de Lisboa tem, desde hoje, 30 novas viaturas de recolha de resíduos que irão permitir uma diminuição substancial das emissões de CO2 produzidas no setor da higiene urbana.

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, que recebeu simbolicamente as chaves das 30 viaturas das mãos do administrador da Auto-Sueco/Volvo, no Parque Tejo, considerou que «este equipamento vai permitir, em relação àqueles que vão substituir, uma diminuição «das emissões poluentes, em cerca de 80 por cento».

Segundo Fernando Medina, «existia uma frota envelhecida, em alguns casos com viaturas com mais de trinta anos, que tem de ser renovada e, ao fazer-se esta substituição, estamos a reduzir a emissão de CO2 produzido pela câmara numa área tão nuclear, como é a da higiene urbana».

Após fazer «justiça ao património de confiança que a autarquia depositou na Auto-Sueco, o edil fez questão de realçar a importância deste equipamento na «melhoria da qualidade de vida dos lisboetas», salientando as inovações tecnológicas que equipam «estes carros».

Do ponto de vista do autarca, «este é mais um passo na renovação da capacidade da edilidade na resolução dos problemas de remoção de resíduos» que, ao longo dos anos, tem aumentado, revelando que a Câmara de Lisboa vais investir cerca «de 20 milhões de euros na renovação da frota».

Com este investimento de perto de 5 milhões de euros – o maior feito num único contrato para renovação da frota da Higiene Urbana – a Câmara Municipal de Lisboa «continua o esforço para aumentar a capacidade de recolha do lixo em toda a cidade».

As novas viaturas de 19 toneladas têm 16 m3 de capacidade e estão aptas a realizar a remoção de resíduos em contentores de 90 a 1100 litros.

Quer comentar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.