LISBOA SEM FESTAS POPULARES

0

Lisboa vai estar mais um ano sem Santos Populares em Lisboa. À semelhança do que aconteceu no ano passado, também este ano não existirão arraiais para festejar o Santo António na cidade de Lisboa por causa da pandemia de Covid-19.  Porém, com a colaboração de todos e de cada um fazendo a sua parte, o mês de junho de 2022 será seguramente diferente.

A Câmara de Lisboa não vai autorizar a realização de arraiais populares este ano devido à pandemia de covid-19, anunciou hoje o presidente do município, Fernando Medina, apelando para que os cidadãos compreendam a situação e evitem aglomerações, porque «vivemos ainda uma fase da pandemia que, mesmo com os excelentes indicadores da vacinação, continua a exigir cuidados e precaução, cuidados esses dificilmente compatíveis com a realização de festividades que juntam um número de pessoas sem paralelo com qualquer evento na cidade, num registo distendido e menos propício à observação de regras de segurança sanitária».

«Infelizmente, este ano não vamos poder ter arraiais, não vamos poder ter as comemorações do Santo António com arraiais, dada a situação que vivemos», disse Fernando Medina, acrescentando: «É a decisão sensata, é a decisão avisada nesta fase da pandemia em que são precisos ainda cuidados, são precisos alertas».

O autarca de Lisboa indicou que, tal como no ano passado, os arraiais «não vão ser licenciadas nem pela Câmara nem por Juntas de Freguesia e, por isso, a fiscalização cabe às autoridades, quer à Polícia Municipal, quer à Polícia de Segurança Pública (PSP)».

Segundo a autarca, «já antecipávamos este cenário, por isso já tínhamos anunciado que não iríamos ter as marchas este ano e que os festejos não se iriam realizar, isso é óbvio. Isto agora estende-se a toda a noite de Santo António, na noite do dia 12 de junho, os arraiais tão típicos desta altura não vão acontecer e, por isso, teremos que, infelizmente, aguardar mais um ano para podermos de novo celebrar o Santo António com a alegria que a cidade gosta de o fazer», declarou o presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

Acarinhada por gerações e gerações de lisboetas, a tradicional celebração da noite de Santo António é a grande festa popular de Lisboa e movimenta todos os anos mais de meio milhão de pessoas nas ruas de Lisboa.




Ciente do impacto económico que estas medidas representam para as coletividades que as organizam, e que assim custeiam uma parte da sua atividade cultural e social durante o ano, a Câmara Municipal de Lisboa conta apoiar as entidades promotoras dos arraiais populares que habitualmente eram licenciados com um montante de 2000 euros/cada. Uma medida que se junta ao apoio concedido às coletividades participantes no concurso das Marchas Populares (15 mil euros/cada).

Visto que se mantém a limitação de horários e de grandes eventos populares imposta pelo combate à pandemia, a autarquia concederá, a partir de amanhã, dia 2 de junho, uma terceira tranche dos apoios a fundo perdido aos setores da restauração e comércio (Programa Lisboa Protege). Este novo pacote de apoios a fundo perdido, orçado em 13 milhões de euros, vem juntar-se aos 26 milhões de euros já concedidos pela CML desde o lançamento do programa, em novembro de 2020.

Quer comentar a notícia que leu?