OS TOIROS VÃO VOLTAR A LOURES NO PRÓXIMO DIA 24 DE JULHO

Loures vai receber, a 24 de julho, domingo, uma corrida de touros que se irá realizar na praça móvel instalada junto ao Parque da Cidade de Loures, às 18h00. O evento conta com a presença de três grupos de forcados amadores, e dos cavaleiros João Moura, Sónia Matias, David Gomes e Diogo Oliveira.

 Até ao momento já foram vendidos cerca de 1000 bilhetes para esta corrida, que promete trazer novamente a tradição taurina até ao concelho de Loures. A ideia, explica ao Olhar Loures Miguel Ângelo Jorge, forcado que vai estar presente no evento, “partiu de um grupo de aficionados que tinha interesse em ter uma corrida em Loures, concelho que tem uma grande tradição taurina que queremos preservar”.

Miguel, que é também aficionado, acrescenta ainda que “Loures tem também alguns cavaleiros e forcados que gostariam de tourear na sua terra”. O evento é organizado por um empresário na área da tauromaquia, António Pedro Vasco, e que conta com a colaboração deste grupo de aficionados.

Para já, a intenção é, de acordo com Miguel Ângelo Jorge, “voltar a realizar anualmente uma corrida em Loures”, tal como era até 2006, quando o Grupo Desportivo de Loures organizava, todos os anos, uma corrida de touros. A corrida do próximo dia 24 de julho contará com os cavaleiros João Moura, Sónia Matias, David Gomes, oriundo da Venda do Pinheiro, e ainda com Diogo Oliveira, natural do concelho de Loures.

A corrida contará ainda com os grupos de forcados amadores do Ribatejo, da Arruda dos Vinhos, e da Moita, o qual conta com “cerca de uma dezena de forcados residentes em Loures”, acrescenta Miguel Ângelo Jorge. A banda dos Bombeiros Voluntários de Loures irá também fazer uma atuação nesta corrida, marcada para as 18h00.

No entanto, e ao contrário da grande parte dos concelhos associados à tauromaquia, esta corrida não vai contar com o apoio da Câmara Municipal de Loures, embora a autarquia tenha dado autorização para o evento. Na perspetiva de Miguel Ângelo Jorge, esta demarcação por parte da Câmara de Loures prende-se “não por motivos de serem aficionados ou não, mas sim por causa das críticas” que o evento está a receber.






O forcado explica que, desde que a corrida foi anunciada, tanto ele como a restante organização do evento, está a receber diversas críticas e ameaças. “Por exemplo, já recebi mensagens a mandarem-me sair do concelho, outras que nos chamam de assassinos e hipócritas”, explica Miguel Ângelo Jorge, que acrescenta que “respeita todas as pessoas que sejam contra a tauromaquia”, mas não aquelas “que não permitem que eu exerça o meu direito a gostar desta cultura”.

Os bilhetes estão à venda na Apolo 78, em Loures, e no Café Janeiro, em Lousa.

Quer comentar a notícia que leu?