RSB COM NOVO QUARTEL EM CHELAS DENTRO DE 3 ANOS

O Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa vai ter, dentro de 3 anos, um novo quartel de comando e Formação, a ser instalado em Chelas. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, lançou, simbolicamente, a primeira pedra do futuro quartel, cuja obra foi projetada pelo anterior executivo municipal, presidido por Fernando Medina.

Carlos Moedas, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, esteve ontem em Marvila para «lançar» a primeira pedra do futuro quartel de comando e de formação do Regimento de Sapadores bombeiros, tendo realçado o profissionalismo dos bombeiros sapadores que, segundo ele, estão ao nível dos melhores da Europa.

No lançamento da primeira pedra do futuro quartel, Carlos Moedas, que é também engenheiro civil, decidiu não optar pela tradição de pôr mãos à obra: escolheu «fazer diferente» e entregar uma peça simbólica ao comandante do RSB, Tiago Lopes, a quem agradeceu o «excelente trabalho» de liderança do corpo municipal de bombeiros profissionais de Lisboa.

«O profissionalismo que encontrei nestes bombeiros é extraordinário, é um exemplo não só para Portugal, mas para fora de Portugal», enalteceu, referindo que o novo edifício em construção «simboliza que Lisboa pode estar a liderar em muitas coisas, além do empreendedorismo e da inovação, pode liderar naquilo que é a proteção aos seus cidadãos, com os bombeiros».

O presidente da autarquia lisboeta fez questão de salientar que «esta é uma obra que vem do anterior executivo, mas que nós vamos terminar» e pretende dar «melhores condições de trabalho aos bombeiros».

Acompanhado pelos vereadores Ângelo Pereira e Filipa Roseta, o presidente da autarquia, que considera que os bombeiros de Lisboa são dos melhores profissionais em termos de prevenção e combate a sinistros, sublinhou que «este é um dia importante para o futuro da cidade», porque se iniciou uma obra que vai contribuir para melhorar «a vida das pessoas».


«O nosso caminho para Lisboa está traçado», afirmou o autarca, realçando a importância da formação dos bombeiros para a segurança da cidade. Revelando que o quartel vai implicar um investimento de 17 milhões de euros e que o seu prazo de conclusão é de 34 meses, Carlos Moedas adiantou ainda que «este quartel vai ser o comando, mas vai ser também um centro de formação internacional. Os bombeiros de Lisboa têm sido um exemplo para Portugal, mas também um exemplo para o estrangeiro e para aqueles que querem aprender e partilhar conhecimentos e experiências».

Carlos Moedas não quis terminar a sua breve alocução sem deixar uma «palavra de apreço» aos bombeiros de Lisboa, tanto voluntários como sapadores, que tiveram «um papel importante durante a pandemia».

Além de agradecer e valorizar o papel dos bombeiros, o presidente da Câmara de Lisboa deixou palavras de força para a continuação do trabalho, no qual o futuro quartel de comando e formação «é realmente um projeto importantíssimo, ao apostar num caminho de formação, de educação e de transformação da cidade».

RSB mantém companhia na D. Carlos I

Por seu turno, o tenente-coronel Tiago Lopes, comandante do RSB, revelou a Olhares de Lisboa, que todo o edificado que existe nos terrenos da Escola de Sapadores de Chelas vai «ser demolido e, só depois é que vão ser construídas as instalações para o comando, para a escola de formação e para a instalação de uma companhia operacional», garantindo que a 1ª companhia do RSB vai continuar sediada na D. Carlos I.

O novo quartel, já em construção, vai ficar localizada nos terrenos envolventes ao quartel do RSB, instalado em Marvila, o qual acolhe, atualmente, a 6ª companhia, o 3º batalhão e a escola de bombeiros», adianta a autarquia, lembrando que se tornava necessário proceder à reorganização do sistema atualmente implementado, sendo, por isso, imprescindível a construção do quartel de comando e formação para o Regimento de Sapadores Bombeiros.

«A presente intervenção passa pela ampliação e reforço das componentes operacionais existentes, reabilitando a casa escola (torre), a galeria de treinos e a lavandaria, e pela introdução de uma nova estrutura que incluirá a construção da nova Sede de Comando do RSB (atualmente na Av. D. Carlos I), do quartel da Companhia de Intervenção Especial (6ª companhia), da escola dos RSBL, do edifício de estacionamento de meios de reserva, da Unidade Cinotécnica de Resgate, da portaria e da moradia de treinos”, explicita a Câmara Municipal de Lisboa. A empreitada vai incluir também a construção de campos de treino para diversos cenários.

Quer comentar a notícia que leu?