TRANSPORTES INTELIGENTES VÃO SER DEBATIDOS EM LISBOA

0

Os engarrafamentos de trânsito são uma praga na vida dos lisboetas. Apesar da tecnologia, continuamos a lidar com este problema de forma obsoleta. Este é um dos temas do Congresso sobre Sistemas Inteligentes de Transporte, a realizar-se em Lisboa.O Congresso ITS (Sistemas Inteligentes de Transporte) vai realizar-se, entre 18 e 21 de março de 2020, na capital portuguesa, foi anunciado no decorrer da cerimónia de assinatura do Memorando de Entendimento para a organização do congresso que, em principio, deverá ter uma participação superior a 2 800 pessoas.

Na cerimónia, o vereador da Mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa, Miguel Gaspar, reafirmou que está determinado em avançar com a mobilidade eléctrica para cortar com as emissões de carbono até 2030, dando resposta aos compromissos europeus. «Temos de envolver as várias partes, dos autarcas aos vários operadores de transporte, passando pelos consultores», salienta.

Na sua opinião, a solução passa pelo transporte público. O vereador da Mobilidade considerou que este congresso constitui um momento de excelência para a partilha de experiências e procura conjunta de caminhos para o futuro.

Na perspectiva do autarca, «a diferença entre uma cidade inteligente e uma estúpida é que as inteligentes têm em conta as pessoas». Por isso, mais do que uma questão política ou económica, para Miguel Gaspar, «é a ecologia humana que interessa», defendendo que a mobilidade deve ser sinónimo de democratização da oferta.Na cerimónia – em que estiveram ainda presentes os representantes da Associação ITS Portugal e da ERTICO (associação europeia que reúne empresas e organizações ligadas ao setor dos transportes) – foi explicado que os Sistemas e Serviços Inteligentes de Transporte (ITS do inglês Intelligent Transport Systems and Services) constituem aplicações avançadas que visam proporcionar serviços inovadores relacionados com diferentes modos de transporte, a fim de tornar o uso das redes de transporte mais seguro, mais coordenado e «mais inteligente».

O termo nasceu nos anos 80, quando um grupo de profissionais reconheceu o impacto que a revolução nas comunicações pode assumir na área dos transportes. Assim, aplicaram os conhecimentos de Engenharia ao desenvolvimento de soluções inovadoras.

Os Sistemas e Serviços Inteligentes de Transporte incluem telemática e todos os tipos de comunicações em veículos, entre veículos (por exemplo, carro-carro), e entre veículos e locais fixos (por exemplo, carro-infraestrutura).

No entanto, a sua utilização não é restrita aos transportes rodoviários, também incluem o uso de tecnologias da informação e comunicação (TIC) no transporte ferroviário, marítimo e aéreo, incluindo sistemas de navegação, e podem ser utilizados por passageiros e para transporte de carga.

À medida que aumenta a difusão e o desenvolvimento de produtos, as aplicações ITS tornam-se uma caraterística e parte integrante do «tecido» dos transportes. A integração das tecnologias existentes é aliada à inovação para criação de novos serviços.

Escreva aqui o seu comentário...