14 MEDIDAS AJUDAM A «DESCONFINAR» LISBOA

0

A EMEL volta a fiscalizar o estacionamento a partir do dia 11 de maio, segunda-feira. Esta é uma das 14 medidas da Câmara Municipal de Lisboa para o desconfinamento e retoma gradual dos serviços, mantendo, no entanto, o hospital de campanha no Estádio Universitário

Em 14 pontos, a câmara de Lisboa divulga as principais medidas para desconfinar Lisboa. Desta forma, os serviços e as entidades municipais de Lisboa preparam-se para retomar a actividade, após cerca de dois meses de confinamento provocado pela pandemia. A primeira data é 11 de maio, a próxima segunda-feira, altura em que a EMEL retoma a fiscalização do pagamento na via pública.

Um comunicado da Câmara de Lisboa refere, no entanto, que se mantêm o estacionamento gratuito dos «veículos de residentes com dístico válido (e a todos a quem já tenha sido garantido acesso) no conjunto dos parques de estacionamento da EMEL até ao dia 30 de junho. Por outro lado, mantêm-se a extensão automática de todos «os dísticos atribuídos até junho de 2020, ou até junho de 2021 para os dísticos renovados a partir de 1 de março».

Os estacionamentos mantêm-se gratuito para todas as equipas de saúde das unidades do SNS, diretamente envolvidas no combate à pandemia. Esta medida será operacionalizada através da ARS e das Administrações dos Centros Hospitalares e concretizar-se-á em parques de estacionamento da EMEL, em parques concessionados pela CML ou na via pública, de acordo com a solução mais adequada.

Por outro lado, os elevadores públicos, que também são da responsabilidade da EMEL, vão ser reabertos com um protocolo de limpeza diária que também abarca a rede de bicicletas GIRA.

Jardins e Museus abrem até 18 de maio





De portas abertas também passam a estar muitos dos espaços municipais encerrados desde março. Assim, segundo o calendário de desconfinamento anunciado agora pela câmara estabelece que os jardins do Palácio Pimenta, (onde se localiza o Museu da Cidade) reabrem a 12 de maio, e terão acesso gratuito entre as 11 e as 17 horas. Para 18 de maio está marcada a reabertura da Estufa Fria e do Jardim da Cerca da Graça.

O dia 18 de maio é também a data prevista para a reabertura de vários museus – da Marioneta, Fado, Bordalo, Aljube, núcleos do Museu de Lisboa e Galerias Municipais (com exceção do Atelier Museu Júlio Pomar e da Casa Fernando Pessoa), bem como o Padrão dos Descobrimentos.

Uma lista que deixa de fora boa parte dos grandes museus da cidade, que estão sob a tutela do Ministério da Cultura, ao qual cabe a decisão de abertura, sendo previsível que venham a reabrir na mesma data que os equipamentos que estão sob a alçada municipal.

Também no dia 18 de maio, regressam as Bibliotecas Municipais, mas só para empréstimos, devoluções e reservas de livros, abrindo os restantes serviços a 1 de junho (excepto salas infantis). Por «razões de obras», o Castelo de São Jorge também só reabrirá no primeiro dia de junho.

Já o Arquivo Municipal de Lisboa abre de forma faseada a partir de 18 de maio, e com marcação prévia no Bairro da Liberdade, no Arquivo Fotográfico, no Arco do Cego e na sala de leitura do Gabinete de Estudos Olisiponenses, enquanto que a Videoteca entra em funções a 1 de junho.

Higiene urbana

Os serviços de Higiene Urbana também têm novidades. A recolha do lixo volumoso voltou ontem, quarta-feira, com o reforço da desinfecção e higienização de todos os equipamentos de espaço público junto às escolas que irão abrir a 18 de maio.

A autarquia informa ainda que a recolha de “lixo volumoso” deve ser solicitada para a linha 808 20 32 32.

Hospital de campanha mantêm-se

Outra medida é a manutenção do Hospital de Campanha do Estádio Universitário que se vai manter operacional até dezembro de 2020. Esta opção destina-se a fazer face a uma eventual segunda vaga da pandemia e concretiza-se através da manutenção da «operação no Pavilhão 3 e da manutenção de capacidade de reativação nos Pavilhões 1 e 2 no prazo máximo de uma semana». Esta solução foi defendida pela ARS e pela Rede de Hospitais do SNS e teve o apoio de todos os parceiros envolvidos no Hospital, nomeadamente a Universidade de Lisboa, o Estádio Universitário e o Exército, revela a nota emitida pela autarquia da capital.

No que diz respeito ao atendimento ao munícipe, a partir de 1 de junho reabre a Loja Lisboa Cultura, sob marcação, e a Lisboa Film Commission, mas continua a dar-se preferência ao atendimento não presencial. O mesmo é recomendado para as Lojas de Entrecampos, Marvila, Alcântara e Baixa, que abrem a 11 de maio, atendendo mediante agendamento. Consulte o site oficial da Câmara Municipal de Lisboa para ter acesso a todos os contactos e informação adicional.

A nota da Câmara avisa que o «atendimento presencial em espaços municipais obedecerá às regras gerais definidas, em particular:  a distância social de segurança, designadamente no que respeita, barreiras acrílicas, marcações de distanciamento e circuitos de circulação; o reforço da desinfeção e higienização, dos espaços e equipamentos municipais, designadamente, os equipamentos de utilização comum; a utilização obrigatória de máscaras nos espaços fechados».

Ler no site OFICIAL da CML

Escreva aqui o seu comentário...