A MARCHA DE CARNIDE É UMA MARCHA IRREVERENTE

A Marcha de Carnide já venceu uma vez as Marchas Populares de Lisboa, em 1968. Desde então, nunca mais voltou a ganhar, mas tem tido bons resultados no concurso. Para a edição de 2022 a Marcha de Carnide está “a apostar em força na coreografia”, como conta o responsável, Pedro Rosa, ao Olhares de Lisboa.

“Somos uma marcha muito irreverente, quer nos figurinos, quer nas coreografias, e isso ajuda-nos a conquistar bons lugares”, acrescenta o responsável, explicando ainda que “existe um bom ambiente” entre os marchantes da Marcha de Carnide.

Por isso, na sua perspetiva, estes ingredientes, no conjunto, “ajudam a trazer pessoas para a nossa marcha”, pelo que, a Marcha de Carnide não teve dificuldade nenhuma em captar marchantes. “Tivemos pessoas que já marcharam em anos anteriores, outros que fizeram pausas e quiseram voltar, e depois temos outros que vêm por influência de amigos”.

No entanto, segundo o responsável, há “muitos dos marchantes que já vêm da Marcha Infantil, e têm o gosto pelas marchas desde pequenos”. O grupo de marchantes da Marcha de Carnide tem idades entre os 16 e os 70 anos.

Apesar de alguns já marcharem há muitos anos, a grande parte dos marchantes, em 2022, são estreantes na Marcha de Carnide. No entanto, nem todos os marchantes são residentes em Carnide, mas “todos têm ligação à freguesia, ou porque nasceram cá, ou porque trabalham cá”, acrescenta Pedro Rosa.

Os ensaios da Marcha de Carnide decorrem no Pavilhão do Bairro Padre Cruz, de segunda a sexta-feira. Primeiro começaram no quartel da GNR da Pontinha, em março, e só recentemente é que passaram para aquele espaço.





Segundo Pedro Rosa, os “últimos dois anos sem Marchas Populares foram estranhos, na medida em que as pessoas não podiam estar juntas”. Os ensaios da Marcha de Carnide começaram por ser “parcelados”, para não juntar muita gente.

Agora, na reta final dos ensaios, a Marcha de Carnide já ensaia com o grupo completo, mas “sempre a respeitar o distanciamento social” entre os marchantes. Ao mesmo tempo, o responsável acrescenta que “no inicio usámos sempre máscara e fazíamos testes regularmente”.

Contudo, e se alguém testar positivo à Covid-19, “ela será substituída por um suplente, isto se for apenas uma pessoa, mas se forem mais, teremos que ajustar a coreografia”, garante Pedro Rosa, adiantando que a EGEAC “também já está preparada para essa eventualidade”.

No entanto, o responsável espera que “esse cenário não aconteça” e mostra-se confiante para a apresentação no Altice Arena, no dia 4 de junho, e para o desfile na Avenida da Liberdade, na noite de 12 para 13 de junho.

Em 2022, a madrinha da Marcha de Carnide será a atriz Lia Carvalho, sendo que o padrinho ainda está a ser escolhido, uma vez que a organização ainda está à espera de algumas confirmações. Os autores das canções são Carlos Dionísio e Joana Dionísio. Já o ensaiador é Mike Santos e os figurinos estão a cargo de Paulo Julião. A cenografia é de Paulo Julião e Sérgio Sousa.

Contudo, a Marcha de Carnide não irá ter mascotes, “porque organizar uma marcha já envolve uma grande logística e depois ainda temos que nos preocupar em arranjar alguém para tomar conta das crianças”, explica Pedro Rosa, acrescentando que, “para além deste fator, temos que ter em atenção que são crianças pequenas e vão ter de ficar acordadas até muito tarde, e por isso optamos por não ter mascotes”.

Visite a loja : https://olharesdelisboa.pt/produto/carnide-2019/

Quer comentar a notícia que leu?