Área Metropolitana de Lisboa vai passar a ser responsável pela análise das candidaturas a novo modelo de inserção de pessoas em situação de sem-abrigo.A Área Metropolitana de Lisboa (AML) vai ser a entidade responsável pela análise das candidaturas ao novo modelo integrado de inserção de pessoas em situação de sem-abrigo, promovido no âmbito do programa operacional regional Lisboa 2020.

Fomentar as sinergias e as complementaridades locais e nacionais, atuar prioritariamente em problemas essenciais como a saúde e a habitação, rentabilizar os recursos humanos e promover a qualidade técnica das intervenções são as ideias-chave da nova abordagem a esta problemática, são alguns dos objetivos deste programa, esclarece um comunicado da AML.

As ações elegíveis – segundo esse comunicado – enquadram-se em três grandes tipologias: acompanhamento psicossocial e acesso a recursos existentes na comunidade, desenvolvimento de respostas que implementem ações ocupacionais adequadas e projetos que favoreçam o combate ao estigma social sobre a condição das pessoas em situação de sem-abrigo.

Entretanto e com o objetivo de esclarecer dúvidas de cariz técnico, relacionadas com a operacionalização das candidaturas, estiveram reunidos, na sede da Área Metropolitana de Lisboa, representantes dos municípios que integram o núcleo de planeamento e intervenção sem-abrigo (NPISA), e de diversas associações e grupos de intervenção

A estratégia, os objetivos, as ações prioritárias e os recursos disponíveis do novo modelo de intervenção, assente fundamentalmente em parceiros locais, foi apresentada pela vogal do conselho diretivo do Instituto de Segurança Social, Sofia Borges Pereira.

Quer comentar?

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.