AS MARCHAS POPULARES DE LISBOA JÁ COMEÇARAM A DESFILAR NA ALTICE ARENA

Após dois anos de paragem, as Marchas Populares de Lisboa estão de volta à cidade. Esta sexta-feira, dia 3 de junho, as primeiras marchas já desfilaram na Altice Arena. As exibições continuam este fim de semana.

A primeira marcha a desfilar foi a Marcha Infantil ‘A Voz do Operário’, marcha extraconcurso, com o tema ‘As Crianças e o Fado’, relembrando o papel deste género musical na cultura popular, e ainda o papel que esta instituição tem na comunidade. A Marcha da Voz do Operário tem como padrinhos Cecília Henriques e Ricardo Raposo.

A seguir, entrou a Marcha de Belém, que tem como tema ‘O Pica Amor de Belém’, fazendo referências aos elétricos que cruzam a cidade, e em especial à linha que liga a Praça da Figueira a Belém. Os figurinos masculinos retratam os revisores e os femininos aludem às mulheres-a-dias que trabalhavam nas casas senhoriais.

O tema deste ano da Marcha de Belém retrata a história destas mulheres, que viajavam nos elétricos sem pagar, fugindo dos revisores, por quem se acabavam por apaixonar. A Marcha de Belém tem como ensaiador João Bravo e os B&B Designers são os responsáveis pelos figurinos e cenografia. Os padrinhos são Rita e Salvador Delgado.

Já a Marcha do Bairro da Boavista, que foi outra das marchas que se apresentou ontem na Altice Arena, apresenta o tema ‘Lisboa na Faina do Mar’, que alude aos pescadores e às mulheres que os esperam em terra. Estes homens e mulheres foram retratados por Amália Rodrigues em alguns fados, e por isso, a apresentação da Marcha do Bairro da Boavista termina com uma homenagem à fadista, com os marchantes a fazerem uma roda à volta da sua imagem. O ensaiador da Marcha do Bairro da Boavista é Rafael Rodrigues, o figurinista é Paulo Miranda, e o cenógrafo está a cargo de Origami. Os padrinhos são os atores Rita Blanco e José Raposo.

Do mar, passa-se às flores, com a Marcha do Castelo a apresentar o tema ‘Das flores fiz o meu fado’, com as marchantes a retratarem as vendedeiras de flores que costumavam vender flores no Castelo e que foram tema de vários fados, entre os quais ‘Júlia Florista’, de Amália Rodrigues. A Marcha do Castelo tem como padrinhos o casal de comediantes Joana e Eduardo Madeira. Os ensaiadores são Bruno Barros e Sofia Silva. Já Fauze El Kadre é o figurinista.





Depois do Castelo, seguimos para o Alto do Pina, a marcha vencedora da edição de 2019 das Marchas Populares de Lisboa. A Marcha do Alto do Pina tem como tema ‘Para Sempre Alto do Pina’, uma referência às tradições deste bairro, que já marcha desde o início das Marchas Populares de Lisboa, mas também ao bairrismo que aqui se vive.

Durante a apresentação na Altice Arena, que contou com o apoio de uma claque bem audível, os padrinhos da marcha, Teresa Guilherme e Madjer, marcharam pelo Alto do Pina em conjunto com os marchantes. O ensaiador da Marcha do Alto do Pina é Bruno Vidal e os figurinos estão a cargo de Mónica Lafayette. Américo Grova é o cenógrafo.

A Marcha da Bica foi a marcha que se apresentou a seguir, envergando os seus arcos bem luminosos e defendendo o tema ‘Todas as formas de amor’, que trouxe para a Altice Arena o espírito do Parque Mayer, onde se lutava pela liberdade e contra a censura, assim como Amália. O ensaiador da Marcha da Bica é Américo Silva e Dino Alves é o figurinista e o cenógrafo. Os padrinhos são Joana Amendoeira e Tiago Torres da Silva.

O amor foi ainda o mote do tema da Marcha da Mouraria, que apresentou o tema ‘O Namorico da Bia e do Chico’, com os marchantes a retratarem a história de amor entre uma vendedeira de flores e um vendedor de cautelas. A apresentação da Marcha da Mouraria terminou com alguns casais a trocarem beijos entre si e que valeu muitos aplausos da plateia da Altice Arena. A Marcha da Mouraria tem como padrinhos os cantores Vanessa Silva e FF, que fizeram uma pequena aparição ao lado dos marchantes.

Por fim, e também com uma claque bem forte, a Marcha do Bairro Alto encerrou o primeiro dia de apresentações na Altice Arena. Os marchantes defenderam o Bairro Alto com o tema ‘Arquitetura da Água’, que vem sensibilizar para a poupança da água, elemento essencial da imagem lisboeta. Os ensaiadores da Marcha do Bairro Alto são Carla Fonseca e Dino Carvalho e os figurinos são de Paulo Miranda. Já o cenográfo é José Condeça e os padrinhos Sónia Brazão e Flávio Gil.

As apresentações na Altice Arena continuam este sábado, com as exibições das Marchas dos Mercados, de Marvila, do Lumiar, da Baixa, dos Olivais, de São Vicente, de Carnide, e da Penha de França. No total, serão três dias de exibições, que terminam este domingo, dia 5 de junho. Estas exibições antecedem o desfile que decorre na noite de Santo António, de 12 para 13 de junho, na Avenida da Liberdade.

Recorde-se que em 2022, o tema da Grande Marcha de Lisboa, que tem de ser entoada por todas as marchas a concurso, é ‘Amália é Lisboa’, como homenagem ao centenário da artista. Este era o tema que estava definido para a edição de 2020, que, entretanto, foi cancelada devido às restrições impostas pela pandemia, tal como aconteceu com a edição de 2021.

O presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, que fez uma intervenção antes do início das apresentações na Altice Arena, não escondeu a sua satisfação por o concurso estar de volta à capital e referiu a importância que o evento tem para a vida de Lisboa, que é “paixão, alma e orgulho”.

Quer comentar a notícia que leu?