Até 2023, LISBOA VAI ESTAR NAS «BOCAS DO MUNDO»

0

Lisboa vai andar «nas bocas do mundo» até 2023. Em 2020, Capital Verde Europeia, em 2021, Capital Europeia do Desporto e, agora, foi anunciada a realização, em 2022, das Jornadas Mundiais da Juventude e a visita do Papa Francisco.

Apesar das nuvens negras que pairam sobre a economia portuguesa para 2023, a capital portuguesa vai ter três anos «em cheio», que vão possibilitar a entrada nos cofres do Estado e da capital portuguesa vários milhões de euros. Assim, durante os próximos três anos vai ser Capital Verde Europeia, depois Capital Europeia do Desporto e, agora, coloca «a cereja no topo do bolo», com o anúncio da visita do Papa Francisco, em 2022, durante as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ).

Presididas pelo papa, as jornadas vão realizar-se na zona oriental de Lisboa.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, já manifestaram «enormíssima alegria e um grande orgulho» por a cidade de Lisboa ter sido escolhida para organizar a próxima Jornada Mundial da Juventude, em 2022.

O Presidente da República, aproveitou a ocasião, para felicitar a Igreja e Portugal. Marcelo Rebelo de Sousa considerou que a abertura de Portugal a África foi um fator determinante para a decisão de organizar as Jornadas Mundiais da Juventude de 2022, em Lisboa.

Perante o anúncio feito pelo próprio Papa, o Presidente da República admitiu, em entrevista à Renascença e à Agência Ecclesia, candidatar-se à Presidência da República em 2020. Marcelo confessou que os encontros com o Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude e a perspetiva de Lisboa receber o evento em 2022 foram «um grande empurrão psicológico para pensar mais seriamente numa recandidatura».






Já Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, considera uma honra «sermos o local escolhido pelo Papa Francisco para acolher aquele que é o maior evento mundial de juventude é extraordinário» e promete que a cidade vai estar «à altura de fazer as maiores e melhores jornadas de sempre».

O autarca acredita que Lisboa vai precisar de ter «capacidade para acolher muito mais pessoas» do que o Panamá, que esta semana recebeu mais de 100 mil peregrinos do resto do mundo. «Pela nossa geografia, pelo trabalho que vamos fazer e pela forma como vamos apostar neste evento», Medina não tem dúvidas de que esse número será «várias vezes ultrapassado».

Medina lembra que «Lisboa é uma capital global, com grande reconhecimento internacional e por ser uma capital de abertura, de tolerância, de paz. Esses são os nossos valores, os valores pelos quais somos conhecidos. São os valores que creio que justificam a escolha do Papa Francisco, que se casam tão bem com os ideais e valores das jornadas. Por isso não tenho dúvidas que vamos ter em Lisboa umas jornadas extraordinárias».

Medina salienta «a forma como o Papa se tem batido pelos direitos humanos e dos mais desfavorecidos, como se tem batido pelo nosso planeta e pela importância do combate às alterações climáticas».

Declarações do Cardeal Manuel Clemente

Capital Europeia | Verde e do DesportoMas, já no próximo ano, Lisboa vai ser Capital Verde Europeia. Assim, a capital portuguesa recebe 350 mil euros que o prémio pressupõe em 2020.

Uma Praça de Espanha com um novo parque e uma bacia de retenção de água para controlo de cheias. Um parque urbano em Entrecampos, um corredor verde que atravessará o vale de Alcântara, ligando-se a Monsanto ao Tejo e regado com água reciclada na sua Estação de Tratamento de Águas Residuais. As Gira, as bicicletas partilhadas do município que já têm mais de dez mil passes associados. Foram alguns dos trunfos que o presidente da câmara de Lisboa, Fernando Medina, apresentou para convencer o júri de que Lisboa é verde o suficiente para ser a “Capital Verde Europeia” em 2020.O prémio é uma iniciativa da Comissão Europeia que distingue as cidades com mais de 100 mil habitantes que apostam em políticas de preservação do ambiente. Lisboa competia com Ghent (Bélgica) e Lahti (Finlândia), que já tinham sido finalistas no ano passado, mas na altura foi Oslo que levou a melhor.Entretanto, em 2021, Lisboa volta a ser Capital Europeia. Desta vez, do Desporto. Duarte Cordeiro, vice-presidente da edilidade, anunciou que o município vai investir 26 milhões de euros em equipamentos desportivos até 2021, especificando que o investimento se destina a «equipamentos, seja na beneficiação ou requalificação».

Escreva aqui o seu comentário...